Home / Arquivo da tag: Editorial Presença (página 9)

Arquivo da tag: Editorial Presença

O Pintassilgo | Donna Tartt

A história é contada na primeira pessoa por Theo Decker, que no início do livro, na idade adulta, percebemos estar numa situação complicada, devido a uma famosa pintura. Theo decide voltar atrás no tempo e contar-nos a sua história, a partir do dia em que tudo mudou, quando perdeu a sua mãe num ataque terrorista num museu. Antes do ataque, Theo pôde ouvir a sua mãe discorrer sobre uma das poucas pinturas que sobreviveram do pintor holandês Carel Fabritius, pupilo de Rembrandt e professor de Vermeer, de seu nome O Pintassilgo.

Ler mais +

[Opinião] Mar das Especiarias – A Viagem de um Português pela Indonésia, de Joaquim Magalhães de Castro

Mar de Especiarias regista a viagem que Joaquim Magalhães de Castro empreendeu a algumas ilhas indonésias em busca de vestígios da passagem portuguesa por lá, nos séculos XVI e XVII, até terem de lá saído por força da chegada dos holandeses. Não era uma faceta dos descobrimentos portugueses que conhecesse minimamente bem, até porque na escola se destaca mais a chegada às Américas e às Índias, por isso foi com alguma surpresa que comecei a ler este livro e a perceber que, em especial no que toca à herança linguística, a presença portuguesa continua a ter impacto nestas gentes.

Ler mais +

[Opinião] Endgame – A Chamada, de James Frey e Nils Johnson-Shelton

Neste livro, parte-se da premissa de que a humanidade foi criada por seres alienígenas há 12.000 anos, altura em que apareceram seres humanos de 12 linhagens diferentes. Desde então, ficou o aviso que um dia seria jogado o Endgame, pelo que cada uma dessas linhagens deveria ter o seu Jogador, com idade entre os 13 e os 20 anos, pronto a entrar nesse jogo mortífero, que decidiria qual das linhagens permaneceria viva.

Ler mais +

[Opinião] Tehanu – O Nome da Estrela, de Ursula K. Le Guin

Tehanu - O Nome da Estrela tem início pouco depois dos acontecimentos finais de A Praia Mais Longínqua, e volta à ilha de Gont onde Tenar (que conhecemos no segundo volume) viveu desde que deixou Atuan. Ficamos a saber que levou uma vida normal, tendo casado e sido mãe de dois filhos e vivendo agora como viúva. Dois acontecimentos alteram a sua rotina: primeiro, uma menina vítima de maus tratos fica sob sua proteção e depois vê regressar Gued, trazido por um dragão depois das provações por que passou.

Ler mais +