Opinião: Gemina | Amie Kaufman e Jay Kristoff

Autores: Amie Kaufman e Jay Kristoff
Ano de Publicação Original:
2016
Série: The Illuminae Files #2
Editora: Oneworld Publications
Páginas: 672
ISBN: 9781780749815
Origem: Comprado

Sinopse: Hanna Donnelly is the station captain’s pampered daughter and Nik Malikov is the reluctant member of a notorious crime family. Together they struggle with the realities of life aboard the galaxy’s most boring space station, blissfully unaware that Kady Grant and the Hypatia are headed right toward Heimdall with news of the Kerenza invasion.

Opinião: Depois de terminar o primeiro volume desta trilogia, Illuminae, confesso que não sabia bem o que esperar da sequela. Bem, pelo menos uma coisa esperava, que era continuar a seguir as duas personagens principais do livro anterior, por isso foi com alguma surpresa que percebi que isso não ia acontecer e que o foco da ação se ia agora centrar noutras personagens.

A começar cronologicamente logo após o final de Illuminae, Gemina leva-nos para Heimdall, uma espécie de estação espacial que permite viajar entre várias estações espalhadas pelo universo através do seu wormhole. É aí que encontramos Hannah Donnely, a filha do capitão de Heimdall, que vive ligeiramente aborrecida, entre as aulas e o seu namorado perfeito. Ao mesmo tempo, conhecemos Nik Malikov e a sua prima Ella, ambos pertencentes a uma família que funciona como uma espécie de máfia em Heimdall, tratando do contrabando da droga mais consumida na estação. As vidas de ambos vão ser abaladas quando Heimdall é invadida por uma equipa de assalto da BeiTech, os responsáveis pela invasão do planeta Kerenza que iniciou os acontecimentos de Illuminae

Mais uma vez, temos um livro estruturado com base em cartas, documentos oficiais e conversas por escrito entre as várias personagens, e é através destes elementos que vamos acompanhando o desenrolar dos acontecimentos. Voltamos a ter composições gráficas interessantíssimas e desta vez também ilustrações da autoria de Marie Lu e que aparecem no contexto do diário de Hannah. Em termos de enredo, achei este segundo volume superior ao primeiro, pelas várias reviravoltas presentes ao longo do livro e que nos deixam muitas vezes em pulgas para saber o que irá acontecer. 

Desta vez senti uma ligação emocional mais forte com as personagens principais e a relação que se vai desenvolvendo entre eles, quando comparado com a minha reação face à história do primeiro livro. Penso que a autora consegue dar a Hannah e Nik, e ao que vai acontecendo entre eles, dimensão e profundidade, o que ajuda muito o leitor a sentir-se investido no desenvolvimento dos acontecimentos que os rodeiam. Desta vez a presença de Aidan, a Inteligência Artificial que tanto me tinha cativado no primeiro volume, não é tão frequente, mas ainda assim gostei muito de o rever e o seu aparecimento é relevante para o desfecho da história.

Dito isto, e ainda a faltar o último volume da trilogia, posso desde já dizer que estou cativada por estas histórias e pela forma original como os autores decidiram contá-las. Vamos ver se o último volume estará à altura dos seus antecessores.

Classificação: 5/5 – Adorei

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.