Novidade Livros do Brasil | O Templo Dourado, de Yukio Mishima

Título: O Templo Dourado
Autor: Yukio Mishima
Pág.: 280
Data de Lançamento: 08.10.2020
Comprar: Wook | Bertrand (links afiliados)

Baseado num incidente real ocorrido em 1950 — o ato incendiário de um monge que sofria de perturbações mentais —, O Templo Dourado espelha brilhantemente as paixões e as agonias de um jovem religioso no Japão do pós-Segunda Guerra Mundial, tendo ficado inscrito como um dos mais importantes romances de Yukio Mishima. A presente tradução foi feita a partir da versão em inglês, conforme a vontade expressa do autor no que à divulgação internacional da sua obra diz respeito. O livro estará disponível nas livrarias a 8 de outubro. Neste que foi o primeiro romance do autor nipónico a conhecer tradução portuguesa, corria o ano 1972, as personagens são condicionadas pela transformação drástica que à data da sua escrita a sociedade japonesa sofria. Nestas páginas encontramos intensos dilemas de amor-ódio de quem sofre com a ruína de uma tradição que se julgava perfeita e que, por isso, sente a compulsão de cortar radicalmente com o passado. 

Sinopse: Mizoguchi, rapaz de frágil constituição e gago de nascença, vive complexado, ostracizado do mundo e desde a infância fascinado com o famoso Templo Dourado de Quioto. Quando integra aquele espaço como seu aluno, a perfeição estética da estrutura torna-se para ele uma obsessão, o exemplo da excelência, o objeto único do seu desejo, e o mundo exterior perde ainda mais relevância. Mas à medida que vê desenharem-se nas paredes do templo leves indícios de falhas, Mizoguchi convence-se de que o verdadeiro caminho para a Beleza reside num só ato, de libertadora violência. A partir de um incidente real ocorrido em 1950, O Templo Dourado espelha brilhantemente as paixões e as agonias de um jovem no Japão do pós-Segunda Guerra Mundial, tendo ficado inscrito como um dos mais importantes romances de Yukio Mishima.

Sobre o autor: Novelista e dramaturgo, pseudónimo de Kimitake Hiraoka, nasceu em Tóquio em 1925 e suicidou-se de forma mediática, praticando o ritual japonês seppuku, a 25 de novembro de 1970, manifestando assim a sua discordância perante o abandono das tradições japonesas e a aceitação acrítica de modelos consumistas ocidentais. O idealismo que enforma a sua obra e conduzirá a sua vida está enraizado no tradicionalismo militar e espiritual dos samurais, e a sua conceção da arte liga-se a um elevado culto da alma e do corpo. Mishima é um dos mais conhecidos escritores japoneses, várias vezes apontado como candidato ao Prémio Nobel da Literatura e autor de obras inesquecíveis como Confissões de Uma Máscara (1948), O Templo Dourado (1956) ou O Marinheiro Que Perdeu as Graças do Mar (1963).

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.