Home / 3/5 / Opinião: Um verão especial | Elin Hilderbrand

Opinião: Um verão especial | Elin Hilderbrand

Autor: Elin Hilderbrand
Título Original:
Summer of ’69 (2019)
Editora: Círculo de Leitores
Páginas: 374
ISBN: 9789724252605
Tradutor: Ana Coelho
Origem: Recebido para crítica
Comprar: Wook | Bertrand (links afiliados)

Sinopse: Estamos em 1969 e os Levin vivem tempos de mudança. Todos os anos a família ansiava por passar o verão na casa da avó, na Baixa de Nantucket; no entanto, como em tantas outras coisas na América, este ano tudo será diferente. Blair, a irmã mais velha, vê-se presa em Boston, grávida de gémeos e incapaz de viajar; Kirby é apanhada no meio do vórtice de protestos pelos direitos civis; Tiger, soldado de infantaria, foi enviado para o Vietname; e Jessie, com 13 anos, sente se subitamente filha única e isoladanaquela casa habitada pelos segredos da avó e da mãe.Enquanto o verão aquece, o Homem chega à Lua,realiza-se o Festival de Woodstock, o senador TedKennedy sofre um polémico acidente de automóvele Jessie e a sua família vivem as suas própriasconvulsões dramáticas, tal como o resto da nação.

Opinião: Um verão especial foi a minha estreia com a autora norte-americana Elin Hilderbrand, e vinha com a promessa de ser uma leitura descontraída, e por isso propícia para esta altura do ano, mas também sentia bastante curiosidade por saber como a autora iria explorar todos os acontecimentos que marcaram o verão de 1969 nos Estados Unidos da América.

O enredo giro em torno da família Foley-Levin e é relatada de acordo com a perspetiva de três irmãs: Blair, a mais velha e já casada, que aguarda o primeiro filho; Kirby, a irmã do meio, o espírito livre da família, que tenta no verão de 1969 começar a ter um pouco de liberdade, tendo arranjado o primeiro emprego; e finalmente Jessie, a filha mais nova e fruto do segundo casamento da mãe, uma jovem de 13 anos com uma maturidade invulgar e que acaba por dar uma perspetiva fresca a toda esta narrativa.

Vários temas e acontecomentos atuais à época são abordados – como o racismo e os abusos sexuais ou a Guerra do Vietname, a primeira viagem à Lua, Woodstock e o acidente de Chappaquiddick, que envolveu o senador Ted Kennedy – mas o verdadeiro foco do livro são as relações interpessoais entre os membros desta família, as dores de crescimento e o verdadeiro significado do amor e da amizade.

Como já referi, a autora opta por contar a história de acordo com três perspetivas diferentes que vão sendo intercaladas ao longo do livro. Esta técnica traz sempre associado o risco de o leitor se interessar mais por uma das personagens e perder motivação quando não é essa a protagonista, mas felizmente isso não aconteceu aqui. É verdade que as minhas partes preferidas foram as da Jessie, mas de um modo geral a autora conseguiu sempre ir deixando pontas soltas no final de cada secção que nos fazia continuar a ter vontade de saber o que ia acontecer a seguir.

Outra coisa de que gostei muito foi que cada capítulo tinha o nome de uma música da altura e que estava associado, em maior ou menor grau, aos acontecimentos desse capítulo. Muitas delas já conhecia, outras nem por isso, mas foi sem dúvida um bónus que ajudou a criar o ambiente da época. Aproveito para partilhar uma playlist que alguém criou no Spotify com todas estas músicas.

Considero que Um verão especial é uma boa leitura de verão, pela sua fluidez e tópicos de interesse. Não esperem encontrar um livro que vai mudar as vossas vidas ou que vos vai fazer pensar no sentido da vida; pareceu-me antes o tipo de leitura de entretenimento que por vezes tanta falta nos faz para aliviar o stress do dia-a-dia.

Não posso deixar de referir que participei ontem na conversa sobre este livro organizada pelo Círculo de Leitores e moderada pela Maria João Covas e pela Maria João Diogo, porque enriqueceu muitíssimo a experiência de leitura e trouxe novas perspetivas àquela que tinha sido a minha impressão acerca deste livro. Espero que estas iniciativas voltem a decorrer no futuro.

Classificação: 3/5 – Gostei

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.