Home / Novidades / Novidade Temas e Debates | Últimas notícias do Sapiens, de Silvana Condemi e François Savatier

Novidade Temas e Debates | Últimas notícias do Sapiens, de Silvana Condemi e François Savatier

Título: Últimas notícias do Sapiens
Autores: Silvana Condemi e François Savatier
Pág.: 160
Data de Lançamento: 20.09.2019
Comprar: Wook | Bertrand (links afiliados)

A paleontóloga e orientadora de investigação Silvana Condemi e o jornalista François Savatier juntaram-se para nos trazer as Últimas notícias do Sapiens. Este livro, que chegou às livrarias portuguesas a 20 de setembro, procura responder à pergunta: «O passado do Sapiens diz-nos algo de útil sobre o seu futuro?», ao mesmo tempo que esclarece a enigmática saga evolutiva humana.

«Poucas disciplinas foram tão abaladas nestes últimos anos como a pré-história. Eis a crónica de uma transformação assombrosa, que fez aparecer um estranho animal que vive de pé, presente em todo o lado, trazendo com ele uma poderosa cognição e cuja forma mais evoluída, o Sapiens, recebeu a herança de todas as outras. […] Além de nos proporcionarem uma preciosa síntese atualizada dos últimos resultados da investigação, os autores reconstituem, em sentido inverso, o percurso desse migrante de demografia galopante que transformou o seu ambiente para todo o sempre.» L’Archéologue

«Este livro é um modelo de pedagogia e um guia precioso para fazer o ponto do que se sabe (e sabe-se cada vez mais!) e do que se ignora. Um passeio alegre pelas primeiras sociedades humanas, da savana africana aos confins da China, passando, é claro, pela nossa Europa. Em poucas páginas, o leitor aprende mais sobre o que faz a humanidade e o seu futuro provável do que em muitos êxitos de livraria que pretendem ser obras de erudição e proféticas.» La Revue du Praticien

«Uma obra tão agradável de se ler como cientificamente rigorosa, que nos esclarece não só quanto ao passado do ser humano, mas também quanto ao seu futuro.» La Provence

«Para os nossos autores, o Homo sapiens é um animal “autodomesticado” e a cultura desempenha um papel na sua configuração biológica: o homem não vive na natureza, mas na sociedade. […] A descoberta no Quénia de utensílios líticos datados de há mais de 3 milhões de anos (e, portanto, anteriores ao aparecimento do género Homo) indicia que a biologia (pré-) humana e a cultura (pré-) humana evoluíram desde antes do Homo: a cultura seria assim o nosso acelerador de evolução.» Dominique Garcia, professor de Antropologia e presidente do Institut national de recherches archéologiques préventives de França

Sinopse: O Homo sapiens é, decididamente, uma espécie curiosa. Pensava-se que tivesse aparecido algures na África Oriental há 200 mil anos e eis que a sua presença é detetada muito antes e em todo o continente. Julgava-se que saíra do seu berço há 80 mil anos, até se terem descoberto, na China, fósseis muito mais antigos. Além disso, a genética mostrou que há 400 mil anos partilhávamos o planeta com outras três espécies do género Homo, hoje desaparecidas e com as quais nos miscigenámos! É pois urgente fazer o ponto da situação relativamente aos nossos antepassados e ouvir as últimas notícias do Sapiens. Dos australopitecos ao Neolítico, os autores contam-nos a fascinante saga de um estranho primata, transformado para todo o sempre pela evolução e pelo nosso bem mais precioso: a cultura.

Sobre os autores: Silvana Condemi é paleoantropóloga e orientadora de investigação no Centre National de la Recherche Scientifique (Universidade de Aix-Marseille). François Savatier é jornalista na revista Pour la Science, onde escreve sobre as ciências do passado. O livro anterior dos autores, Néandertal, mon frère, foi traduzido para várias línguas e ganhou o Grand Prix du Livre d’Archéologie 2017.


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.