Home / 5/5 / Opinião: Guerra e Paz – Livro IV | Lev Tolstói

Opinião: Guerra e Paz – Livro IV | Lev Tolstói

Autor: Lev Tolstói
Título Original:
Война и мир (VII-VIII Том) (1865)
Editora: Editorial Presença
Páginas: 416
ISBN: 9789722334365
Tradutor: Nina Guerra e Filipe Guerra
Origem: Comprado
Comprar: Wook | Bertrand (links afiliados)

Sinopse: Guerra e Paz é um verdadeiro monumento da literatura universal. Tolstói descreve as guerras movidas por Napoleão contra as principais monarquias da Europa, dissecando as origens e as consequências dos conflitos e, principalmente, expondo as pessoas e as suas vulnerabilidades com uma aguda perceção psicológica. O enredo deste romance cobre toda a campanha de Napoleão na Áustria, a invasão da Rússia pelo exército francês e a sua retirada, entre 1805 e 1820. Neste quadro épico movem-se mais de 550 personagens, além dos elementos das famílias aristocráticas principais, Tolstói criou um retrato realista e incisivo da sociedade russa de inícios do século XIX, denunciando o preconceito e a hipocrisia da nobreza, ao lado da miséria dos soldados e servos. Este romance presta-se ainda a expor as ideias do autor sobre o sentido da vida e a desenvolver as suas reflexões filosóficas em favor de uma sociedade mais justa e fraterna. O legado literário de Tolstói figura a par do de outros grandes escritores russos do século XIX entre os quais se destacam Dostoiévski, Pushkin, Turgueniev e Tchekov.

Opinião: Chegar ao fim do enorme (em todos os sentidos) Guerra e Paz é uma sensação fantástica, em especial por dois motivos: o óbvio primeiro, que é ter chegado ao fim de um dos livros mais intimidantes para o leitor comum, por ser tão longo e já ter sido deixado a meio por tantos leitores; depois porque consegui fazê-lo tendo realmente gostado do que li, o que não tinha a certeza de poder acontecer antes de iniciar esta leitura tendo em conta o meu historial com este autor.

No quarto e último volume de Guerra e Paz, temos o desfecho do percurso das várias personagens que tínhamos vindo a acompanhar mas, acima de tudo, é oferecida ao leitor uma vasta análise sobre a presença das tropas francesas na Rússia e, em especial, no que concerne ao que os historiadores relatavam como factos quando Lev Tolstói escreveu este livro, cerca de 50 anos depois dos acontecimentos relatados. Não tenho conhecimentos suficientes para avaliar da veracidade do que o autor afirma acerca dos motivos e repercussões dos principais eventos desta guerra, mas achei refrescante – e bastante atual – a forma como Lev Tolstói questiona o postulado dos factos e o papel dos historiadores na formação de algo tão importante como é o registo da História da humanidade.

Como devem imaginar pelo que acabo de referir, acaba por ser um volume mais centrado na parte filosófica da guerra e nas questões históricas, assumindo o narrador um papel central na “educação” do leitor para os factos que relata sobre todas estas guerras, assumindo para si a missão de contar o que verdadeiramente aconteceu por oposição ao que os historiadores relatavam como factos. Para além disto, Lev Tolstói termina o seu livro com um epílogo em que tenta demonstrar o papel das massas no rumo da História e da existência de um enorme número de variáveis que contribuem, muitas vezes em simultâneo, para todas as relações causa-efeito dos principais acontecimentos da História. 

Este livro termina, assim, num tom bastante desafiador para quem o lê, encorajando uma reflexão profunda acerca de tudo o que nos rodeia. Adorei ler Guerra e Paz porque, finda a leitura, me sinto uma pessoa mais rica: aprendi mais sobre a campanha napoleónica na Rússia, acompanhei a emocionante história ficcional das personagens que Tolstói criou e que tanto dizem acerca da sociedade russa da época e, não menos importante, fez-me pensar sobre a importância de questionar factos que nos são apresentados como certos – há prova mais inconstestável do motivo pelo qual este livro é um clássico do que a atualidade dos temas que aborda? Brilhante e super recomendado.

Classificação: 5/5 – Adorei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.