Home / 4/5 / Opinião: Guerra e Paz – Livro I | Lev Tolstói

Opinião: Guerra e Paz – Livro I | Lev Tolstói

Autor: Lev Tolstói
Título Original:
 Война и мир (I-II Том) (1865)
Editora: Editorial Presença
Páginas: 400
ISBN: 9789722333344
Tradutor: Nina Guerra e Filipe Guerra
Origem: Comprado
Comprar aqui (link afiliado)

Sinopse: Guerra e Paz é um verdadeiro monumento da literatura universal. Tolstói descreve as guerras movidas por Napoleão contra as principais monarquias da Europa, dissecando as origens e as consequências dos conflitos e, principalmente, expondo as pessoas e as suas vulnerabilidades com uma aguda perceção psicológica. O enredo deste romance cobre toda a campanha de Napoleão na Áustria, a invasão da Rússia pelo exército francês e a sua retirada, entre 1805 e 1820. Neste quadro épico movem-se mais de 550 personagens, além dos elementos das famílias aristocráticas principais, Tolstói criou um retrato realista e incisivo da sociedade russa de inícios do século XIX, denunciando o preconceito e a hipocrisia da nobreza, ao lado da miséria dos soldados e servos. Este romance presta-se ainda a expor as ideias do autor sobre o sentido da vida e a desenvolver as suas reflexões filosóficas em favor de uma sociedade mais justa e fraterna. O legado literário de Tolstói figura a par do de outros grandes escritores russos do século XIX entre os quais se destacam Dostoiévski, Pushkin, Turgueniev e Tchekov.

Opinião: Muito pouco do que eu possa dizer sobre Guerra e Paz será novidade para a maioria dos leitores, especialmente ao nível da importância deste livro na literatura mundial. Portanto, apenas vos posso dar a minha perspetiva pessoal do que foi começar a ler esta obra – as edições que estou a ler, da Editorial Presença, dividem o livro em quatro partes. A minha história com Lev Tolstói não é muito feliz: apenas li Anna Karénina há 9 anos e, ainda que lhe tivesse reconhecido mérito literário, não apreciei por aí além. Tenho a sensação que o li demasiado cedo no meu percurso de leitora e que, entretanto, os meus gostos se alteraram um pouco. Talvez um dia lá regresse… Mas adiante. Ler Guerra e Paz não estava nos meus planos de leitura mais imediatos, mas o ano passado adorei fazer a leitura conjunta no canal da Tatiana Feltrin (do Moby Dick) e este ano queria voltar a participar. Só que, em 2019, a booktuber escolheu ler Paraíso Perdido, de John Milton, que é um livro que não só não tenho nas estantes como também não estou muito interessada em ler de momento. Assim, fui procurar leituras conjuntas de anos anteriores, vi uma playlist com a leitura do Guerra e Paz e pensei “porque não agora?”

A história narrada em Guerra e Paz tem início em 1805 e começa por nos apresentar várias famílias de círculos mais abastados da sociedade russa da época. As principais personagens, bem com as relações entre elas, vão-nos sendo apresentadas a um ritmo calmo e, para minha surpresa, com várias matizes de ironia e humor. Para já, as principais personagens são Pierre, que assume toda uma importância na sociedade depois da herança que consegue após o falecimento de seu pai; o príncipe Andrei, por enquanto uma personagem bastante reta e de valores inabaláveis, mas que me parece poder alterar a sua forma de ver as coisas pelas vicissitudes da vida; e Nikolai Rostov, um jovem ávido de participar nas batalhas contra Napoleão, representando o seu amado czar Alexandre I.

Entre estes retratos da sociedade russa, o autor vai intercalando vários capítulos que decorrem no terreno de guerra, quando a Rússia se juntou às tropas austríacas nas semanas que precederam a famosa Batalha de Austerlitz, da qual Napoleão saiu como grande vencedor. O leitor tem a possibilidade de ver as manobras táticas de guerra sob o ponto de vista das personagens que já nos foram apresentadas, tanto a nível dos decisores como a nível de quem estava no terreno. Tenho de confessar que foi nas secções de guerra que fiz as maiores paragens de leitura. Gostava muito de ter um forte interesse por táticas de guerra, mas não é a minha praia e Tolstói não conseguiu fazer-me interessar por elas, com exceção da secção final, que descreve a Batalha de Austerlitz, mas aí penso que se deveu a um maior ênfase no efeito da guerra em quem nela participou, em vez de nos acontecimentos propriamente ditos.

Não posso dizer que esta primeira parte de Guerra e Paz me tenha arrebatado completamente, mas ainda assim gostei bastante. Encarei-o mais como uma apresentação de personagens, bem como uma contextualização social, política e militar que deixa adivinhar desenvolvimentos futuros muito interessantes. O estilo de escrita não foi novidade para mim, pela experiência anterior, mas penso que desta vez estou a conseguir apreciar melhor, em especial quando Tolstói entra em campos mais filosóficos (pelo que já li, esta é uma tendência que aumenta mais para a frente na obra). Portanto, para já a experiência é bastante positiva e já estou embrenhada no segundo volume.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.