Home / Blogmas 2018 / Blogmas 2018 – Dia 23 | Opinião: Um Mais Um – A Fórmula da Felicidade, de Jojo Moyes

Blogmas 2018 – Dia 23 | Opinião: Um Mais Um – A Fórmula da Felicidade, de Jojo Moyes

Autor: Um Mais Um – A Fórmula da Felicidade
Título Original:
 The One Plus One (2014)
Editora: Porto Editora
Páginas: 424
ISBN: 9789720030023
Tradutor: Ana Maria Chaves e Márcia Montenegro
Origem: Comprado

Sinopse: Uma mãe por conta própria
Jess Thomas faz o seu melhor, dia após dia. É difícil lutar sozinha. E, por vezes, assume riscos que não devia. Apenas porque tem de ser…
Uma família caótica
Tanzie, a filha de Jess, é uma criança dotada e brilhante a lidar com números, mas sem apoio nunca terá oportunidade de se revelar. Nicky, enteado de Jess, é um adolescente reservado, que não consegue sozinho fazer frente às perseguições de que é alvo na escola. Por vezes, Jess sente que os filhos se estão a afundar…
Um desconhecido atraente
Ed Nicholls entra nas suas vidas. Ele é um homem com um passado complicado que foge desesperado de um futuro incerto. Ed sabe o que é a solidão. E quer ajudá-los…
Uma história de amor inesperada
Um mais um – A fórmula da felicidade é um romance cativante e original sobre duas pessoas que se encontram em circunstâncias difíceis.

Opinião: Jojo Moyes é uma escritora que raramente me desilude. Por isso é que, no âmbito do desafio de leitura “Christmas in the Books 2“, não hesitei em escolher um livro dela na categoria “um livro que te aqueça o coração“, porque é precisamente isso que senti na grande maioria dos livros que tive oportunidade de ler desta autora.

Desta vez, Jojo Moyes apresenta-se Jess Thomas, uma mulher que sustenta sozinha os dois filhos, com muitas dificuldades e sempre com os tostões muito bem contados. Nicky, o mais velho, é apenas filho do ex-marido, mas Jess teve pena dele e acolheu-o antes de se terem separado; Tanzie é uma menina de onze anos, génio da matemática e uma miúda muito especial. No início desta história, é oferecida uma bolsa de estudo a Tanzie, numa das escolas de matemática mais conceituadas de Inglaterra, mas mesmo assim a parte dos estudos que ficaria a cargo de Jess é mais do que aquilo que ela poderá suportar; por isso, quando surge a oportunidade de Tanzie participar numas Olimpíadas de Matemática em que o primeiro prémio resolveria todos estes problemas, Jess decide pôr-se a caminho da Escócia, apesar de todas as dificuldades.

Paralelamente à história desta família, temos também capítulos do ponto de vista de Ed Nicholls, um brilhante informático que se encontra a braços com a justiça depois de um descuido com uma ex-namorada o ter implicado num caso de utilização de informação empresarial privilegiada. O caminho de Ed e Jess cruzam-se e ele acaba por dar boleia a Jess e aos filhos a caminho da Escócia, numa viagem cheia de peripécias, humor, epifanias e corações a caminho de serem curados.

Ao positivismo inquebrantável de Jess, junta-se a inteligência absolutamente fora do comum de Tanzie e a luta de Nicky contra o bullying de que é alvo pelo facto de ser diferente. Ao longo da viagem para a Escócia, a vida de todos, sem exceção, vai mudar para sempre. Talvez o meu resumo do enredo deste livro não o faça parecer nada de extraordinário, e talvez não o seja a nível da originalidade do enredo, mas Jojo Moyes tem um dom para criar personagens empáticas, fazendo com que nos preocupemos verdadeiramente com o que o destino lhes reserva.

Jess fez-me, por vezes, recordar Lou Clarke, pelo seu otimistmo na vida mesmo perante as circunstâncias mais complicadas. É uma pessoa que acredita sempre em fazer o bem e que isso será, mais tarde ou mais cedo, recompensado. A própria vida acaba por demonstrar-lhe que às vezes isso não acontece, mas mesmo sabendo isso Jess não deixa de acreditar neste princípio. E eu concordo com ela: às vezes a vida traz-nos desilusões que é muito difícil aceitar, mas continuo a achar que atos de bondade, por mais pequenos que sejam, acabam por nos trazer mais coisas positivas que negativas e que, a longo prazo, a recompensa virá até nós.

Um Mais Um foi um livro que devorei em pouco mais que um dia; a leitura é compulsiva e, no final, será muito difícil não sentirmos o coração um pouco mais quente. Recomendo.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.