Home / 2/5 / Blogmas 2018 – Dia 10 | Opinião: A Esposa Minúscula, de Andrew Kaufman

Blogmas 2018 – Dia 10 | Opinião: A Esposa Minúscula, de Andrew Kaufman

Autor: Andrew Kaufman
Título Original:
 The Tiny Wife (2010)
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 128
ISBN: 9789896376307
Tradutor: Renato Carreira
Origem: Oferta

Sinopse: Um ladrão entra por um banco dentro armado com uma pistola pronta a disparar, mas não pede dinheiro. Em vez disso, exige a cada cliente o objeto que tenha para si maior significado. O ladrão parte e todas as vítimas do assalto sobrevivem, mas coisas estranhas começam a suceder-lhes pouco depois: a tatuagem de uma sobrevivente salta-lhe do tornozelo e persegue-a; outra acorda e descobre que é feita de rebuçado; e Stacey Hinterland descobre que encolhe, gradualmente, um pouco a cada dia que passa, e nada que o marido ou o filho possam fazer conseguirá inverter o processo. A Esposa Minúscula é uma fábula sobre como podemos perder-nos nas circunstâncias e encontrar-nos no amor de outra pessoa.

Opinião: No Festival BANG! de 2018, era dado a todos os visitantes um saco onde estavam incluídas algumas ofertas, entre elas um exemplar deste pequeno livro, publicado entre nós há já alguns anos mas que, sinceramente, me tinha passado despercebido. Como é um livro curto e li algumas boas opiniões, decidi dar-lhe uma oportunidade.

A Esposa Minúscula inicia-se quando um banco é assaltado, mas em vez de estar interessado em roubar dinheiro, o ladrão pede a cada uma das pessoas presentes que lhe dêm o objeto com maior valor emocional que tenham consigo, tratando de lhes explicar que leva com ele 51% das almas dos donos dos objetos e que, se não conseguirem fazer com que elas voltem a crescer, coisas terríveis sucederão. Nos dias seguintes, começam a acontecer coisas estranhas aos envolvidos no “assalto”; o narrador do livro é marido de uma das pessoas presentes, uma mulher que começa a ficar cada vez mais pequena e que percebe que tem poucos dias de vida, se o seu encolhimento continuar ao ritmo previsto. Será que ela vai conseguir recuperar a sua alma e evitar que isto aconteça?

De uma forma geral, A Esposa Minúscula é um livro que pretende chamar a atenção para as coisas na vida que valem verdadeiramente a pena e para os medos que muitas vezes nos impedem de as alcançarmos; no fundo, é importante que percebamos o que nos “enche” a alma e o que nos dá alento para navegar por todas as marés. Andrew Kaufman fá-lo através de um texto que assume contornos de fábula, repleto de elementos bizarros e acontecimentos estranhos.

Percebo o apelo que este livro tem nos leitores, mas comigo não funcionou muito bem. Admito que seja um livro imaginativo, original e com uma premissa promissora, mas o facto de nunca ter percebido as intenções do ladrão e de não ter compreendido muitas das coisas que foram acontecendo fez com que o livro perdesse boa parte do interesse para mim. Às tantas, pareceu-me demasiado aleatório, só porque sim. Mas não foi apenas a falta de explicações; também achei que um maior desenvolvimento das personagens teria sido benéfico para a história. 

No final de contas, é um livro engraçado, que se leu bem, mas que não deixou grandes marcas.

Classificação: 2/5 – OK


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.