Home / Célia / Opinião: Monteperdido | Agustín Martínez

Opinião: Monteperdido | Agustín Martínez

Autor: Agustín Martínez
Título Original:
 Monteperdido (2015)
Editora: Suma de Letras
Páginas: 541
ISBN: 9789896655532
Tradutor: Gonçalo Neves
Origem: Recebido para crítica
Comprar aqui (link afiliado)

Sinopse: Ana e Lucía, duas amigas de onze anos de uma pequena aldeia dos Pirenéus, abandonam a escola e vão para suas casas. Mas nunca chegam ao seu destino. Cinco anos mais tarde entre os despojos de um acidente de carro, num desfiladeiro próximo a Monteperdido, aparecem o corpo de um homem e uma adolescente gravemente ferida e desorientada. É Ana, uma das meninas que desapareceu há muito tempo. Enquanto toda a aldeia tenta assimilar o rumo dos acontecimentos, o caso é reaberto.

Opinião: Monteperdido – A Vila das Meninas Desaparecidas é o livro de estreia do escritor espanhol Agustín Martínez e dá a conhecer ao leitor o caso de duas meninas de onze anos que um dia, no caminho entre a escola e as suas casas, desaparecem na floresta. Cinco anos depois, e sem que o caso tenha conhecido qualquer desenvolvimento relevante, uma das raparigas reaparece inesperadamente, o que faz com que a investigação do caso seja retomada, desta vez com novos dados e novos atores em cena.

Como o título do livro deixa adivinhar, Monteperdido não é apenas um livro sobre um caso policial e a sua resolução: é um livro sobre uma vila perdida nos Pirinéus, sobre as vidas dos seus habitantes e a forma como o ambiente que os rodeia influencia as suas ações. Monteperdido é, por si só, uma personagem do livro e, quanto a mim, a que tem melhor caracterização. Ao longo das mais de 500 páginas deste livro, são frequentes as descrições vívidas do local e das suas características peculiares, tendo o autor conseguido criar um ambiente muito plausível para a história que queria contar. Nesse sentido, penso que não será muito descabido afirmar que existem algumas influências de Twin Peaks nesta história, pelo ambiente sinistro, pela influência que tem nos seus habitantes e também por todos os segredos que escondem.

Este livro apanhou-me a meio de uma fase complicada, com muito cansaço à mistura, o que a juntar-se ao seu ritmo algo lento, não propiciou propriamente uma leitura muito rápida e dinâmica. Isto acabou por ser positivo, porque deste modo pude apreciar com mais calma a história e o seu desenvolvimento. Ainda assim, julgo que Monteperdido poderia ter menos umas 100 páginas; várias foram as vezes em que questionei a relevância do que estava a ler para o cenário geral da história, pelo que me parece que uma melhor edição deste livro o poderia ter melhorado substancialmente.

No final de contas, foi uma leitura agradável. Sem ter sido particularmente marcante, tem um final surpreendente e que faz valer alguns aspetos menos positivos que detetei durante a leitura. Fico curiosa por ler mais coisas deste autor.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.