Home / 4/5 / Opinião: Laços | Domenico Starnone

Opinião: Laços | Domenico Starnone

Autor: Domenico Starnone
Título Original:
 Lacci (2014)
Editora: Alfaguara
Páginas: 144
ISBN: 9789896655938
Tradutor: Vasco Gato
Origem: Empréstimo
Comprar aqui 
(link afiliado)

Sinopse: «Aprendemos os dois que, para vivermos juntos, devemos dizer um ao outro muito menos do que aquilo que calamos.»
O amor é um jogo sublime. E uma perigosa armadilha. Como muitos casamentos, o de Vanda e Aldo foi sendo desgastado pelo tempo, a tensão, o atrito, a rotina, a infidelidade. Mas sobreviveu ileso. Ou talvez não. Olhando de perto, com atenção, é possível ver as finas fissuras que podem estilhaçar o casamento, como uma pequena jarra que se toca ao de leve e se desfaz em mil pedaços. O que deixamos para trás quando deixamos alguém? Uma casa, uma família, um passado, uma ideia de futuro? Quão fortes são os laços que nos unem aos que amamos? E quão livres nos permitem ser? Domenico Starnone oferece-nos um olhar incisivo e terno sobre o amor, o casamento, a família, o legado que deixamos aos nossos filhos e o lugar que a liberdade individual pode ter no meio de tudo isso. Um romance provocador, intensíssimo e verdadeiro, pela mão de um dos maiores nomes da literatura italiana contemporânea.

Opinião: Ora aqui está um livro que me tinha passado completamente despercebido aquando do seu lançamento e que só me chegou porque a Cris falou muito bem dele na Roda dos Livros e me fez querer lê-lo. Domenico Starnone é um conceituado escritor italiano que permanecia inédito em Portugal até à edição de Laços, último romance publicado pelo autor, em 2014.

Laços relata, em relativamente poucas páginas, a longa história de uma disfuncional família italiana. O livro divide-se em três partes, cada uma delas dando a diferente perspetiva dos vários elementos dessa família em relação aos acontecimentos que marcaram o seu crescimento e desenvolvimento: na primeira, lemos várias cartas de Vanda, a mãe, escritas ao marido entre 1974 e 1978, no meio do turbilhão que foi o caso extra-conjugal de Aldo, que levou a que deixasse a família para ir viver com uma mulher mais nova; na segunda, o marido conta a sua versão dos acontecimentos; por fim, temos o impacto de tudo isto na vida dos dois filhos do casal.

Laços faz um retrato brutal daquilo que é uma família presa por arames, ou melhor dizendo, por um conjunto de mentiras aliadas ao comodismo e à manutenção das aparências. Mas é também uma ode às consequências que a falta de amor e sinceridade pode ter não só sobre um casal, mas sobre quem apanha com os estilhaços – os filhos. Este é um livro que nos faz questionar aquilo que mantém uma família junta e até que ponto deverá sacrificar-se a felicidade individual de cada um dos seus elementos em prol do bem comum.

A história não será propriamente original, mas a forma como Domenico Starnone a narra faz toda a diferença. Não precisa de muitas palavras para que o leitor fique com a noção perfeita da essência daquela família, e é essa economia de palavras aliada à sua pungência que marcam a diferença. Só não lhe dou a classificação máxima porque adivinhei, talvez cedo demais, um dos desenlaces finais, mas fora isso gostei muito. Quero, sem dúvida, ler mais deste autor, por isso espero que continuem a apostar na publicação da sua obra por cá.

Tanto eu como ela conhecemos a arte da reticência. Desde essa crise de há tantos anos, aprendemos os dois que, para vivermos juntos, devemos dizer um ao outro muito menos do que aquilo que calamos. Tem funcionado.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.