Home / Novidades / Novidades Porto Editora | O ano de 1993 / O conto da ilha desconhecida, de José Saramago

Novidades Porto Editora | O ano de 1993 / O conto da ilha desconhecida, de José Saramago

Após quatro anos, a Porto Editora dá por concluída a reedição de toda a obra de José Saramago com a publicação de O ano de 1993 e O conto da ilha desconhecida, que chegaram às livrarias a 15 de novembro, véspera do dia de nascimento do autor. Será então possível encontrar os seus mais de 40 livros – nas áreas de romance, teatro, poesia, crónicas ou infanto- juvenil – com a chancela Porto Editora, resultado de um percurso que ainda deu a conhecer aos leitores dois livros inéditos: Alabardas, alabardas, Espingardas, espingardas e recentemente o Último caderno de LanzaroteO caderno do ano no Nobel. Publicado pela primeira vez em 1975, poderá dizer-se que O ano de 1993 é um livro de poesia em prosa onde Saramago manifesta as suas inquietações relativamente ao destino do Homem contemporâneo. O conto da ilha desconhecida é uma história de otimismo e perseverança na concretização dos sonhos, protagonizada por um homem que procura um barco para navegar até uma ilha que ninguém sabe existir.

Sobre O ano de 1993: São pequenas histórias a formarem uma só. Una e intacta. Poesia a lançar já pontes para a ficção. Sem rima, fraseada, falando do futuro da própria escrita do autor. Poemas de alerta, mas de esperança, também, apesar do desespero que reside no seu fundo ainda lírico e iniciático. «O interrogatório do homem que saiu de casa depois da hora de recolher começou há quinze dias e ainda não acabou / Os inquiridores fazem uma pergunta em cada sessenta minutos vinte e quatro por dia e exigem cinquenta e nove respostas diferentes para cada uma / É um método novo / Acreditam que é impossível não estar a resposta verdadeira entre as cinquenta e nove que foram dadas / E contam com a perspicácia do ordenador para descobrir qual delas seja e a sua ligação com as outras / (…) / O homem que saiu de casa depois da hora de recolher não dirá porque saiu / E os inquiridores não sabem que a verdade está na sexagésima resposta / Entretanto a tortura continua até que o médico declare / Não vale a pena.»
Comprar aqui (link afiliado)

Sobre O conto da ilha desconhecida: Um dia, um homem dirigiu-se à porta do rei para pedir um barco, mas aquela era a porta das petições, e não foi recebido pelo rei. Depois de muita insistência e de a muitas portas bater pelos meandros da burocracia real lá conseguiu que o rei lhe desse, finalmente, o tão desejado barco. A mulher da limpeza do palácio real foi a única tripulação que arranjou e, depois de apetrechado e limpo o barco, dormiram essa noite no cais. Na manhã seguinte batizaram a embarcação e, pela hora do meio- dia, com a maré, a Ilha Desconhecida fez-se enfim ao mar, à procura de si mesma.
Comprar aqui (link afiliado)

Sobre o autor: Autor de mais de 40 títulos, José Saramago nasceu em 1922, na aldeia de Azinhaga. Em 1947 publicou o seu primeiro livro que intitulou A Viúva, mas que, por razões editoriais, viria a sair com o título de Terra do Pecado. Até 2010, ano da sua morte, a 18 de junho, em Lanzarote, José Saramago construiu uma obra incontornável na literatura portuguesa e universal, com títulos que vão de Memorial do Convento a Caim, passando por O Ano da Morte de Ricardo Reis, O Evangelho segundo Jesus Cristo, Ensaio sobre a Cegueira, Todos os Nomes ou A Viagem do Elefante, obras traduzidas em todo o mundo. José Saramago recebeu o Prémio Camões em 1995 e o Prémio Nobel de Literatura em 1998. No ano de 2007 foi criada em Lisboa uma Fundação com o seu nome, que trabalha pela difusão da literatura, pela defesa dos direitos humanos e do meio ambiente, tomando como documento orientador a Declaração Universal dos Direitos Humanos.


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.