Novidade Bertrand | Diário 1915 – 1926, de Virginia Woolf

Título: Diário 1915 – 1926
Autor: Virginia Woolf
Pág.: 552
Data de Lançamento: 22.06.2018
Comprar aqui (link afiliado)

Sexta-feira, 11 de janeiro:
«(…) [a casa dos] Lordes passou a lei do Sufrágio. Não me sinto muito mais importante – talvez um pouco. É como uma investidura; pode ser útil para impressionar pessoas que desprezamos.»

Com prefácio de Quentin Bell (biógrafo e sobrinho de Virginia Woolf) e organização e notas de Anne Bell, Diário 1915 – 1926, de Virginia Woolf, é de uma grande beleza lírica e literária, sem deixar de retratar uma época (Primeira Guerra Mundial), um período artístico e estético importante, bem como as mudanças políticas da Europa. Este diário, anotado e enriquecido com cartas e ensaios de Virginia Woolf, permite conhecer de forma íntima e sem filtros os pensamentos de um dos maiores nomes da literatura, com rasgos líricos surpreendentes e passagens de uma inteligência acutilante. Diário 1915 – 1926 é uma reedição da edição original da Bertrand, que faz uma seleção personalizada e anotada para o nosso país.

Sinopse: Entre 1915 e 1926, Virginia Woolf escreveu regularmente e em grande detalhe sobre os pequenos e grandes acontecimentos do seu dia a dia – marcado no panorama nacional e internacional pelos esforços da Primeira Guerra Mundial e mudanças políticas sísmicas, e na esfera privada por perdas, conflitos, momentos de grande criatividade e também de grande sofrimento, ensombrados pela doença mental. Este diário, anotado e enriquecido com cartas e ensaios de Virginia Woolf, permite-nos conhecer de forma íntima e sem filtros os pensamentos de um dos maiores nomes da literatura, com rasgos líricos surpreendentes e passagens de uma inteligência acutilante.

Sobre a autora: Virginia Woolf nasceu em Londres, em 1882. Após a morte do pai, sir Leslie Stephen, primeiro editor do Dictionary of National Biography, Virginia e a irmã, a pintora Vanessa Bell, mudaram-se para Bloomsbury e tornaram-se membros incontornáveis do grupo com o mesmo nome. Este coletivo informal de artistas, do qual faziam parte Lytton Strachey e Roger Fry, influenciou fortemente a cultura britânica no início do século XX. Em 1912, Virginia casou com Leonard Woolf, escritor e reformista social. Três anos depois, publicou o seu primeiro romance, A Viagem, no qual lançou as sementes do seu estilo narrativo distintivo e inovador. Em 1917, Virginia e Leonard fundaram a Hogarth Press, que inauguraram com a publicação do livro Two Stories, em coautoria, impresso à mão na sala de jantar da sua casa no Surrey. Os seus períodos de intensa criatividade eram frequentemente intercalados com períodos de sofrimento psíquico intenso, com início após a morte da mãe, em 1895. A 28 de março de 1941, meses antes da publicação do seu derradeiro romance, Entre os Actos, Virginia Woolf suicidou-se.

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.