Novidade Bertrand | Sombras, de Francisco Louçã e Michael Ash

SombrasTítulo: Sombras
Autor: Francisco Louçã e Michael Ash
Pág.: 600
Data de Lançamento: 27.10.2017

Sombras é o mais recente livro de Francisco Louçã, escrito em conjunto com o professor de Economia e Política Pública norte-americano Michael Ash, com prefácio de Eduardo Lourenço, que chegará às livrarias a 27 de outubro. Neste trabalho de alcance histórico e pés bem assentes na atualidade, que aborda a história do pensamento político, social e económico do nosso tempo, os dois autores embrenham-se nos meandros da banca-sombra para explicar como se chegou ao atual estado de desordem e crise. Da desregulamentação dos reguladores à estagnação do crescimento, este é um livro indispensável para entendermos o mundo em que vivemos e as forças que o controlam, pré e pós-Donald Trump.

«No final da segunda década do século XXI, os iminentes perigos económicos serão a gestão de Trump, a bolha especulativa promovida pelas injeções de liquidez pelos bancos centrais, a montanha de dívida na economia chinesa e a fragilidade intrínseca do euro. (…) As bolsas europeias reanimaram-se com os estímulos de Mario Draghi e do Banco Central Europeu, e um confortável efeito de enriquecimento entre os detentores de património financeiro veio estimular novas bolhas imobiliárias. Os negócios parecem correr bem. Ao longo deste livro argumentaremos que esses resultados são uma ilusão e que essa ilusão é perigosa. Veremos como há uma década se foram acumulando os fatores de crise que conduziram à recessão desencadeada por perturbações numa pequena parte do mercado financeiro, e como se vai repetindo esse processo impulsionado pela desregulamentação e pelo agigantamento da finança-sombra.»

Sinopse: Com a crise de 2007-2008 revelou-se o poder da finança-sombra e os riscos que impõe à economia global. Este livro analisa como a finança-sombra se consolidou no poder, mobilizando consensos universitários e teorias derrotadas pela experiência da realidade, artimanhas de banqueiros centrais e governantes para imporem a desregulamentação, velhos e novos métodos de reprodução das elites e o uso intensivo da porta giratória entre a política e o mundo dos negócios. O que se seguirá? Uma longa depressão, uma estagnação secular, novos colapsos financeiros? Justiça ou desigualdade? Convergência entre economias ou divergência entre sociedades? Na economia global dominada pela finança-sombra, acumulam-se os fatores de uma nova crise. Por isso, no centro deste debate estão as questões da democracia.
O exercício não é apenas o de um intelectual capaz de distinguir com acuidade rara o que é aceitável ou inaceitável nesta espécie de Guerra de Tróia sem fim que é a da luta entre os que dominam os mecanismos vitoriosos da economia mundial e os que sofrem os seus efeitos devastadores, mas um acto de coragem com o que isso implica de decisão ética e lucidez. Em suma, as armas ideais para defrontar com algum sucesso a, pelos vistos, incontornável maldição de Midas. (Eduardo Lourenço, Prefácio)

Sobre os autores: Francisco Louçã é economista, professor catedrático no ISEG, Universidade de Lisboa, e investiga temas de macroeconomia, finança e história das ideias económicas. Foi deputado (1999-2013) e é membro do Conselho de Estado. O seu livro mais recente, em coautoria, é As Classes Populares (2017).

Michael Ash foi diretor do Departamento de Economia da Universidade do Massachusetts, em Amherst, onde é professor de Economia e Política Pública. Os seus interesses de investigação incluem o trabalho, a saúde e a economia ambiental, à luz de modelos quantitativos.

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.