Home / Novidades / Novidade Assírio & Alvim | Muito Barulho por Nada, William Shakespeare

Novidade Assírio & Alvim | Muito Barulho por Nada, William Shakespeare

Muito Barulho por Nada

Título: Muito Barulho por Nada
Autor: William Shakespeare
Pág.: 192
Data de Lançamento: 17.11.2016

No dia 17 de novembro a Assírio & Alvim publica Muito Barulho por Nada, geralmente considerada uma das melhores comédias de William Shakespeare, numa tradução nunca antes publicada de Sophia de Mello Breyner Andresen. Escrito, presume-se, em 1598-1599, este texto foi levado ao palco pelo Teatro da Cornucópia, com encenação de Luis Miguel Cintra, que assina o prefácio: «Para se perceber as suas escolhas de tradutora tem de se entender a sua ideia de tradução: uma verdadeira interiorização, até musical, do texto inglês e a resposta — como se fosse um eco que falasse português e que tantas vezes parecia tradução literal, sendo no entanto o resultado de uma escolha não a favor da fidelidade literal mas sim de outra fidelidade mais inteligentemente entendida, a fidelidade de encontrar em português uma linguagem teatral para um texto destinado a ser representado e a uma poética sua, fiel à de Shakespeare.» Esta edição conta ainda com uma introdução de João de Almeida Flor.

Sobre o autor: Poeta e dramaturgo inglês, Shakespeare nasceu em 1564, em Stratford-Upon-Avon, e faleceu em 1616. O seu aniversário é comemorado a 23 de abril e sabe-se que foi batizado a 26 de abril de 1564. Além de uma coleção de sonetos e de alguns poemas épicos, escreveu exclusivamente para o teatro. É um dos maiores génios de sempre da literatura universal.

Sobre a tradutora: Sophia de Mello Breyner Andresen nasce a 6 de novembro de 1919 no Porto, onde passa a infância. Entre 1936 e 1939 estuda Filologia Clássica na Universidade de Lisboa. Publica os primeiros versos em 1940, nos Cadernos de Poesia. Casada com Francisco Sousa Tavares, passa a viver em Lisboa. Tem cinco filhos. Participa ativamente na oposição ao Estado Novo e é eleita, depois do 25 de abril, deputada à Assembleia Constituinte. Autora de catorze livros de poesia, publicados entre 1944 e 1997, escreve também contos, histórias para crianças, artigos, ensaios e teatro. Recebeu entre outros, o Prémio Camões 1999, o Prémio Poesia Max Jacob 2001 e o Prémio Rainha Sofia de Poesia Ibero-Americana. A sua obra está traduzida em várias línguas. Faleceu a 2 de julho de 2004, em Lisboa.


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.