Novidade Quetzal | Num Estado Livre, de V.S. Naipaul

Num Estado LivreTítulo: Num Estado Livre
Autor: V.S. Naipaul
Pág.: 320
Data de Lançamento: 02.09.2016

No passado dia 2 de setembro chegou às livrarias portuguesas Num Estado Livre, do escritor V.S. Naipaul, Prémio Nobel da Literatura em 2001. Este livro duro mas repleto de compaixão foi distinguido com o Booker Prize em 1971, ano em que o livro foi publicado. O júri do Booker Prize incluía nomes como Saul Bellow, John Fowles ou Antonia Fraser.

Num Estado Livre é composto por narrativas com um tema comum: a liberdade – e o seu elevado preço na condição humana. V.S. Naipaul, escritor caribenho de Trindade, de origem indiana, tem um estilo muito próprio ao dissecar a condição colonial de forma implacável, tanto para as personagens subalternas como para as personagens dominantes:

«Conversar com o zulu não era fácil. Também nesse particular o jovem se mostrava agitado. O rei e o presidente, a sabotagem na África do Sul, seminários, turistas, os nativos: saltava de assunto em assunto sem nunca se envolver, sem nunca relacionar uma coisa com a outra. E o boné de pano parecia fazer parte do seu carácter fugidio. O boné fazia com que o zulu parecesse ora um dândi, ora um trabalhador explorado das minas sul-africanas, ora um cantor branco americano com a cara pintada de negro e, por vezes, até o revolucionário que dissera ser a Bobby.»

O jornal inglês The Times diz que este romance de V.S. Naipaul constitui um livro «de grande complexidade e de genuína compreensão e profundidade que agita, diverte e desculpa o leitor em simultâneo, numa mesma experiência de leitura». O escritor estará presente este ano na segunda edição do FOLIO – Festival Literário Internacional de Óbidos, que decorre de 22 de setembro a 2 de outubro, e onde dará uma conferência.

Sinopse: Este livro começa por contar a história de um criado indiano em Washington, que adquire a cidadania americana, mas que sente já não fazer parte do grande fluxo da vida. Segue-se a história do caribenho de origem asiática em Londres: está perturbado, preso por homicídio, mas nunca saberá onde se encontra. A terceira narrativa, a principal, desloca-se para África, para um país ficcional parecido com o Uganda ou o Ruanda. As personagens centrais são dois ingleses, que no passado sentiam África como um continente libertador, que entretanto o deixara de ser. Em tempo de conflitos tribais, no meio de uma grande insegurança, os dois terão de empreender uma longa viagem.

Sobre o autor: V.S. Naipaul nasceu nas Caraíbas (em Trindade), em 1932, no seio de uma família de origem indiana. Em 1950 foi estudar para Inglaterra com uma bolsa. Após os primeiros quatro anos na Universidade de Oxford, começou a escrever, atividade a que, desde então, se dedica ininterruptamente: entre o romance e o ensaio, Naipaul publicou mais de uma vintena de livros, entre os quais o extraordinário conjunto que a Quetzal tem vindo a publicar. Em 1971, V.S. Naipaul foi galardoado com o Booker Prize e, em 2001, com o Prémio Nobel da Literatura.

mae-billboard

Sobre Célia

Tenho 38 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.