Home / 4/5 / [Opinião] Harry Potter and Order of the Phoenix, de J.K. Rowling

[Opinião] Harry Potter and Order of the Phoenix, de J.K. Rowling

862714Autor: J.K. Rowling
Ano de Publicação: 2003
Páginas: 956

 

Sinopse: Book five in JK Rowling’s Harry Potter series follows the darkest year yet for our young wizard, who finds himself knocked down a peg or three after the events of last year. Over the summer, gossip (usually traced back to the magic world’s newspaper, the Daily Prophet) has turned Harry’s tragic and heroic encounter with Voldemort at the Triwizard Tournament into an excuse to ridicule and discount the teenager. Even Professor Dumbledore, headmaster of the school, has come under scrutiny from the Ministry of Magic, which refuses to officially acknowledge the terrifying truth: that Voldemort is back. Enter a particularly loathsome new character: the toad-like and simpering (“hem, hem”) Dolores Umbridge, senior undersecretary to the minister of Magic, who takes over the vacant position of defence against dark arts teacher–and in no time manages to become the high inquisitor of Hogwarts. Life isn’t getting any easier for Harry Potter. With an overwhelming course load as the fifth years prepare for their examinations, devastating changes in the Gryffindor Quidditch team line-up, vivid dreams about long hallways and closed doors, and increasing pain in his lightning-shaped scar, Harry’s resilience is sorely tested.

 

Opinião: De todas as vezes que li este 5.º livro da série Harry Potter, a sensação foi a mesma: é demasiado longo. Desta vez não foi diferente, ainda que me pareça que esta foi a ocasião em que mais o apreciei, apesar de tudo.

 

Harry testemunhou o regresso de Lord Voldemort e Dumbledore fê-lo saber a quem o quisesse, mas a maioria dos feiticeiros continua a acreditar nas notícias do jornal e naquilo que o Ministério da Magia advoga, ou seja, que tudo não passa de imaginação do nosso jovem feiticeiro. E é por isso que vários feiticeiros se juntam para fazer regressar A Ordem da Fénix, uma organização que se dedica a lutar contra Voldemort e seus seguidores através de espionagem e luta contra atos abertos de demonstração de força. Dela fazem parte Dumbledore, Sirius Black, Lupin entre vários outros, incluindo Snape. Mas as dificuldades não se cingem ao mundo exterior, estão também dentro de Hogwarts: a nova professora de Defesa contra as Artes Negras, Dolores Umbridge (narrada brilhantemente por Stephen Fry no audiobook), está decidida a levar ao extremo as orientações do Ministério e obriga os seus alunos a lerem o livro da disciplina em vez de o praticarem. Cedo ganha novos poderes e toda a escola, Harry em particular, vê Hogwarts deixar de ser aquilo que sempre conheceu, para pior.

 

Como referi no início, o livro é enorme. Por um lado, a autora desenvolve com maior profundidade os meandros políticos da história, e por outro ocupa também bastante espaço com a vida adolescente de Harry e seus amigos. Harry aparece neste volume particularmente irritante, naquela fase por que quase todos passamos na adolescência, quando pensamos que ninguém nos entende e que tudo corre mal. Foi por ter noção perfeita disso que, nesta releitura, este aspeto me incomodou menos. O final da história acaba por fazer Harry crescer: os factos que Dumbledore lhe revela relativamente à sua relação com Voldemort suscitam uma reação mais adulta do que se esperaria, e são obviamente fundamentais no desenrolar da história. É um livro importante na saga, ainda que continue a achar que teria ganho em ter umas páginas a menos.

 

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.