Home / Leitor Convidado / Leitor Convidado (5)

Leitor Convidado (5)

Uma visão da blogosfera literária portuguesa

Lembro-me de ter começado o meu blog, em 2007, numa tarde em que pouco ou nada tinha para fazer e, ao escrever uma pequena crítica num ficheiro Word pensei “e porque não fazer um blog?” Não conhecia muitos blogs dedicados a literatura em português, até porque nessa altura frequentava sobretudo fóruns dedicados a livros ou séries de livros. O primeiro fórum em que participei era dedicado a Harry Potter mas fiquei a conhecer outros livros e autores que vim a adorar, como Juliet Marillier, graças à discussão de ideias e opiniões com pessoas cujos gostos eram, em certa forma, bastante semelhantes aos meus.

No entanto, seguia alguns blogs estrangeiros e lia bastantes críticas no site da Amazon, todas em inglês. Nesse mesmo ano descobri o Goodreads que culpo por me ter dado o incentivo final, pois decidi que se queria escrever e publicar ali as críticas em inglês, mais valia também publicar as que escrevia em português, a partir das quais fazia depois a minha muito má retroversão, não fosse um incauto estranho andar à procura de opiniões, por essa internet fora, sobre um livro que por acaso eu até tinha lido e gostado. Sempre gostei de dar a conhecer os livros que mexeram comigo e saber que títulos terão tocado outras pessoas, pelo que na perspectiva de trocar opiniões, como já havia feito antes com sucesso, lá parti à aventura.

Desde aí tenho então conhecido outros blogs e tenho assistido à expansão da blogosfera literária portuguesa. Não posso dizer que eu seja muito activa, para começar não tenho muito o hábito de comentar e, tenho de confessar, não conheço metade dos blogs em português que por aí existem dedicados, na sua maior parte, a livros. No entanto, do (muito) pouco que vou conhecendo, acho que posso tirar algumas conclusões.



Blogs por cá…

Déjà-vu é o termo que me vem à cabeça quando penso na blogosfera portuguesa pois parece-me tudo igual, havendo poucos blogs que se destaquem. Provavelmente contra mim falo com isto tudo, mas acho que se impõe uma maior dinâmica. Não me levem a mal, acho que fazer publicidade a livros é salutar até porque fico a conhecer as novidades e acredito que seja precisa paciência (de que não disponho) para escrever os inúmeros posts a fazer referência aos lançamentos do mês/semana, mas é aborrecido reparar que muitas vezes vejo o mesmo post inúmeras vezes seguidas, nos mais diversos blogs cujos feeds subscrevo, e no meu próprio e-mail, em newsletters de variadas editoras, tenha solicitado a inscrição na lista ou não.

Também se vê imensos passatempos e críticas que, por vezes, pouco ou nada dizem do livro para além de fazerem um resumo da história. Cheguei a aplaudir o facto de diversas editoras se terem associado a alguns blogs, um pouco à semelhança do que se faz lá por fora, e tenham passado a adiantar algumas cópias (por terras estrangeiras têm mesmo advanced readers copy (ARC) que nem sempre correspondem ao produto final, já que alguns livros são editados muitos meses depois de alguns bloggers receberem os ARC’s, mas que servem para promover livros e novos autores, permitindo ter uma ideia do impacto no público-alvo), mas não sei até que ponto isso não terá contribuído para o boom que se tem visto nos últimos tempos.

Acho que nunca vi tantos blogs portugueses tendo por base a crítica literária feita por leitores comuns! Não consigo dizer até que ponto esse crescimento se prende com a ilusão de receber livros gratuitos e, se é isso que de facto acontece, se tal não será algo nocivo, pois também não sei dizer em que medida alguns bloggers não se sentirão constrangidos em fazer críticas mais negativas aos livros que lhes são enviados e acabar assim com parcerias proveitosas para verdadeiros bookholics. Digamos que quando leio muitas críticas boas e sem pontos negativos desconfio. Está claro que não é só isto que me leva a ponderar se leio um livro ou não, mas se um blogger só tem críticas positivas a livros dos mais diferentes géneros e autores, não deixo de sentir que algo não bate bem e fico de pé atrás quanto às suas recomendações.

Outra coisa que me deixa com algumas reservas é o facto de alguns blogs parecerem impessoais. Eu sei que são blogs de livros, sobre livros, dedicados a livros, mas quem lê e escreve sobre esses livros? Qual é género preferido dessa pessoa? Que autor mexeu com ela? O que pensa sobre determinado assunto? Mais que troca de impressões, a internet permite-nos conhecer pessoas e é encontrando gostos coincidentes que relações nascem levando a confiar nas mais diversas sugestões.


Blogs por lá…
Posto isto, desde há algum tempo que tenho seguido com muita curiosidade diversos blogs estrangeiros. Gosto de ver como muitos bloggers convivem saudavelmente, encontrando pontos em comum e que levou, nalguns casos, a rubricas bastante interessantes e agradáveis de acompanhar. Para começar, muitos organizam desafios. Seja ler mais de x livros num ano, vários livros consagrados a diversos temas, ou maratonas de leitura, interessa é participar e dar a conhecer a sua experiência. Há quem convide outros bloggers para fazer críticas, por vezes desafiando o convidado a ler um género que não costuma; ou fazem críticas conjuntas, focando diferentes aspectos suscitados por um mesmo livro; há quem faça entrevistas a autores, quem promova blog tours ou semanas e meses dedicados a autores, lançamentos e géneros. Escrevem-se artigos de opinião, simplesmente ideias que passam pela cabeça de uma pessoa, ou realizam-se mesas redondas para debates de temas. A blogosfera lá fora parece cheia de vida e recomenda-se.

Também se vêem variados anúncios a lançamentos, sendo que cada blogger destaca não tudo o que se publica por cada casa editorial mas o que se publica dentro do género que mais lhe agrada (há blogs dedicados exclusivamente a ficção histórica, ficção científica, romance paranormal….) ou faz um apanhado dos títulos que lhe parecem mais interessantes. Parecendo que não tudo isto imprime um carácter ao blog que, mesmo que as minhas opiniões como leitora nem sempre batam certo com as do(s) autor(es) dos blogs, faz com que se torne agradável de seguir, contribuindo para o meu crescimento como leitora e pessoa.


O que gostaria de ver por cá…
Felizmente parece que a blogosfera portuguesa acordou também para este tipo de iniciativas, como esta rubrica dá a entender. Tem sido agradável ler artigos e crónicas sobre os mais variados aspectos da leitura. Mas acho que há espaço para fazer muito mais, tal como já se faz lá por fora. Pode existir uma maior cooperação entre blogs e mesmo editoras, mais debates, mesas redondas. Basicamente, quero uma blogosfera que não se cinja a promover e criticar livros, quero uma blogosfera que me faça crescer como leitora, que opine sobre o que o livro a fez pensar. Porque a leitura não é só o acto de ler. Começa pela escolha. O que é que leva um leitor a pegar num determinado título? Será a capa, a sinopse, o autor, o género? Porque é que determinada pessoa prefere fantasia? Porque é que não pega em ficção cientifica? Porque é que desdenha romances? E se começa na escolha acaba no que a leitura nos ofereceu. Que ponto de vista alterámos sobre determinado tema? Como contribuiu a leitura para o meu crescimento como pessoa e cidadã do mundo?

Eu sei que num blog que o autor deseja que seja dedicado a livros, deve dedicar-se a isso mesmo, mas eu quero conhecer quem escreve sobre eles e, parecendo que não, um post, uma linha que seja, respondendo àquelas perguntas dá a conhecer a pessoa e diferencia-a de outros bloggers que escrevem sobre o mesmo tema. Não é preciso tornar o blog num diário pessoal nem teorizar sobre o sentido da vida, mas uma ou outra opinião ou pensamento sobre tudo o que um livro pode invocar (desde o grafismo da capa à adaptação da história ao cinema, passando pela biografia do autor ou porque queremos ler Dickens no Natal), faz com que me identifique, ou não, com o blogger; leva-me a ponderar e a pensar que se calhar aquele livro que tanto mexeu com ele e que eu não conhecia, pode fazer o mesmo comigo. Imprime um carácter que suscita curiosidade, troca de ideias e opiniões, que por vezes leva-me mesmo a aventurar-me por géneros que nunca pensei vir a ler.

Pode ser algo ingénuo da minha pessoa, já que um dos intuitos que me levou à criação de um blog, para além de fazer um registo dos livros que ia lendo, era dar a conhecer as minhas opiniões e experiências de leitura e dar a conhecer livros e autores que mudaram a minha vida, esperando que outros trocassem opiniões e sugestões. Foi a falar de livros que conheci algumas das minhas melhores amigas, algumas com gostos diferentes do meu mas que, ao falarem com tanto entusiasmo dos mais diferentes assuntos e emoções suscitadas por alguns títulos, me levaram a descobrir outros livros e autores dos quais nunca tinha ouvido falar. Talvez seja isso que procure na blogosfera, uma relação saudável de amizade com outros bloggers, com gostos semelhantes mas também algo díspares, que me leve a arriscar a leitura de livros tão diferentes daqueles a que estou habituada e a discutir os mais variados temas.

 

Texto da autoria da White Lady, do blogue Este meu cantinho…


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.