Home / Novidades / Tartan – As Velas da Liberdade

Tartan – As Velas da Liberdade

Prefaciado por José Eduardo Agualusa, Tartan – As Velas da Liberdade perpetua a aventura de seis jovens que escaparam, num veleiro, de uma Angola em guerra rumo a Portugal desconhecido.

Angola, 1978. Em plena guerra civil e no dia das comemorações do terceiro aniversário da independência, seis rapazes fogem de Luanda num veleiro de apenas 13 metros. Orientados por uma bússola, um mapa rudimentar e um rádio a pilhas, cruzam um oceano de dúvidas, medos e anseios, em busca da liberdade e da vida. O seu destino é Portugal, onde acabam por chegar depois de mil e uma vicissitudes.

Mais de 30 anos depois, a publicação desta história ajuda-nos a compreender um período pouco explorado da nossa História e da nossa memória colectiva. É por isso que, a 15 de Abril, a Albatroz publica Tartan – As Velas da Liberdade, dos irmãos Nuno e Pedro Silveira Ramos, o relato fiel e emocionado de uma viagem que soltou amarras e deixou viver. Os autores vão estar presentes no festival LEV – Literatura em Viagem que a cidade de Matosinhos recebe de 16 a 20 de Abril e o livro será apresentado na livraria Bulhosa de Entrecampos, em Lisboa, a 22 do corrente mês, pelas 18:30.

No prefácio da obra, José Eduardo Agualusa é peremptório: “É bom haver livros assim porque nos devolvem à vida, ao puro sabor da vida, e nos permitem continuar a acreditar que em havendo vontade, e um barco propício, toda a viagem é possível.”

Os Autores
José Nuno Bobela-Motta da Silveira Ramos nasceu no Huambo em 1964. Após o início da guerra civil, viveu com a família no Namibe, em Benguela e em Luanda. Meia dúzia de anos depois da independência saiu do país com um salvo-conduto temporário e viajou para Portugal. Em 1987 partiu para Macau, onde estudou Comunicação Gráfica e Guitarra Clássica e onde exerceu funções de realizador de rádio na Teledifusão de Macau, profissão que viria a retomar no regresso a Portugal, depois de 1999.

Pedro João Bobela-Motta da Silveira Ramos nasceu em Lisboa em 1959 e meses depois viajou para Angola. Passou a época colonial no Huambo e, tal como os seus familiares, passou o tempo de guerra civil em fuga entre Lubango, Namibe, Benguela e Luanda. Na capital angolana, ainda estudante, fez natação de competição no Clube Nun’Álvares Pereira e desenvolveu a sua paixão pelo mar e pela vela. Em 1978, foi um dos que fugiu para Portugal no veleiro Tartan. Actualmente, trabalha numa empresa de observação de golfinhos no Algarve.


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.