Home / 9/10 / [Opinião] A Guerra é para os Velhos, de John Scalzi

[Opinião] A Guerra é para os Velhos, de John Scalzi

Autor: John Scalzi
Título Original: Old Man’s War (2005)
Série: Old Man’s War #1
Editora: Gailivro
Páginas: 328
ISBN: 9789895576722
Tradutor: Luís Filipe Silva
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: John Perry fez duas coisas no dia do seu septuagésimo quinto aniversário, primeiro visitou a campa da mulher e a seguir alistou-se no exército. A boa notícia é que a humanidade finalmente é capaz de viagens interestrelares. A má noticia é que planetas capazes de sustentarem vida são escassos e que raças alienígenas, dispostas a Lutarem para ficar com os planetas, são comuns. Sendo assim, nós lutamos para defender a terra e para manter o direito aos planetas que descobrimos. Longe da terra, a guerra dura há décadas. É brutal, sangrenta e não dá tréguas. A terra é um planeta atrasado em termos de desenvolvimento. O grosso da tecnologia e do desenvolvimento da humanidade está nas mãos das forças de defesa coloniais. O que todos sabem é que, quando se atinge a idade da reforma, pode-se juntar às FDC. Não querem gente jovem, mas quem tem os conhecimentos e a experiência de décadas de vida. O candidato será levado da terra, onde nunca mais lhe é permitido voltar. Irá servir dois anos na frente de batalha. e, se sobreviver, receberá um pedaço de terra numa das, arduamente conquistadas, colónias novas. John Perry resolveu aceitar a proposta. Ele tem uma vaga ideia do que o espera. Porque a verdadeira luta, a anos-luz de casa, é muito mais dura que tudo aquilo que ele pode imaginar.

Opinião: A Guerra é para os Velhos, livro de estreia do americano Jonh Scalzi, é o primeiro de uma série de livros de ficção científica deste autor, que chegou a ser nomeado para o Hugo Award de 2006 (prémio anual atribuído aos melhores livros dentro dos géneros da fantasia e ficção científica).

Numa sociedade futurista, os humanos não vivem apenas na Terra: descobriram-se alguns planetas no Universo com condições para albergarem populações humanas. No entanto, para além dos humanos, outras raças também desejam conquistar esses planetas, pelo que existe uma Forças de Defesa Coloniais (FDC) encarregue de lutar pela conquista e manutenção destas novas “casas” da raça humana. Mas, para o conseguir, a FDC necessita de soldados que tenham acabado de ultrapassar os 75 anos e desejem alistar-se. A história acompanha John Perry, que atinge a idade requerida para entrar nas FDC e decide juntar-se a esta força, apesar de nem ele nem ninguém saberem muito bem o que os espera contornos da luta que decorre no espaço, devido a todo o secretismo que envolve esta força. É com a partida de John Perry da Terra que o leitor parte também à descoberta deste novo mundo.

Ficção científica (FC) é um género que, definitivamente, não costumo ler, especialmente a FC que envolve mundos futuristas e naves espaciais (ideia geralmente associada ao género, mas que vai muito mais para além disto). Portanto, foi com alguma expectativa e curiosidade que parti para esta leitura e senti-me extremamente recompensada. Gostei imenso da história, da escrita, das personagens. Não sei até que ponto o enredo será muito original, até porque, como já disse, não costumo ler livros dentro deste género, mas a verdade é que a sua originalidade me surpreendeu e agradou.

Pelo seu cariz futurista e pelas hipóteses que levanta em termos genéticos é um livro que inevitavelmente nos deixa a pensar na evolução da ciência e na sobrevivência futura do ser humano. Não sabemos o que nos espera, mas a hipótese de os recursos da Terra deixarem um dia de ser suficientes não é assim tão descabida, pelo que o cenário de povoação de outros planetas do Universo, que o livro apresenta, torna-o verosímil. Previsivelmente, contém também algumas explicações na área da física que exigem alguma atenção do leitor menos familiarizado com o tema, mas que quase nunca quebram o ritmo da história.

Este livro prova que, independentemente do género em que se insere, um bom livro é um bom livro. Recomendo vivamente aos amantes do género e àqueles que, não o sendo, desejam alargar os seus horizontes. Eu fiquei definitivamente com vontade de explorar mais livros dentro da FC e espero sinceramente que a Gailivro publique os restantes volumes da série. 

Classificação: 9/10 – Excelente


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.