Home / 8/10 / [Opinião] O Professor, de Frank McCourt

[Opinião] O Professor, de Frank McCourt

Título Original: Teacher Man (2005)
Editora: Editorial Presença
Páginas: 288
ISBN: 9789722342186
Tradutor: Maria do Carmo Figueira
Origem: Recebido para crítica
Sinopse: Neste seu terceiro livro de memórias, Frank McCourt, autor de As Cinzas de Ângela e Esta É a Minha Terra, escreve uma crónica irreverente e vigorosa sobre os trinta anos durante os quais deu aulas em diversos liceus de Nova Iorque. Com o seu característico humor, ressonâncias líricas e honestidade desarmante, McCourt relembra os desafios e as recompensas com que se deparou no ensino público nova-iorquino, criando assim um relato inspirador e comovente sobre as relações humanas e sobre como aquilo que temos para dar e receber pode fazer a diferença na vida de cada um.

Opinião: Já conheço o nome de Frank McCourt há algum tempo (tenho As Cinzas de Ângela por ler), mas até agora ainda não tinha lido nenhum livro dele, pelo que este “O Professor” foi a minha estreia neste autor. Frank McCourt publicou 3 livros autobiográficos durante a sua vida (mais um livro de Natal), tendo vindo a falecer em Julho deste ano.

O Professor aborda a vida de professor de Frank McCourt e todas as dificuldades que passou até finalmente conseguir perceber que era mesmo aquilo que gostava de fazer, ao longo dos 30 anos durante os quais leccionou. Frank vai muito jovem da sua terra natal, a Irlanda, para os Estados Unidos e depois de algum tempo a trabalhar numas docas enquanto estudava consegue finalmente uma colocação como professor.

Nos primeiros tempos, Frank sente muitas dificuldades em captar a atenção dos alunos e apenas consegue fazê-lo quando conta histórias da sua infância na Irlanda. O passar dos anos foi-lhe trazendo alguma segurança, e permitiu ao mesmo tempo que aplicasse os seus peculiares métodos pedagógicos nas aulas de Escrita Criativa que leccionou. Não só a escrita é despretensiosa, como é também despretensiosa e humilde a forma como Frank McCourt fala do sucesso que os seus métodos de ensino tiveram. Isto porque estamos perante um homem que tentou sempre fazer aquilo que lhe parecia melhor, na vida como no emprego, apesar de todas as suas inseguranças e defeitos e de ter cometido alguns erros que o ensinaram o que precisava de aprender.

Pessoalmente, achei a história deste homem interessantíssima (pelo menos no período que nos é relatada), também porque muitas vezes consegui identificar-me com os sentimentos de insegurança e procura de vocação que descreve. Quanto aos métodos de ensino, para além das suas peculiaridades, estes tinham sempre por base a ideia de que é possível fazer alguma coisa de todos os alunos, por mais desesperado que pareça o caso… basta tentar compreendê-lo e descobrir como pode ser motivado. E essa é uma ideia que me agrada bastante.

Isto para dizer que foi uma leitura que me agradou imenso e que recomendo vivamente.

Classificação: 8/10 – Muito Bom


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.