Home / Livros na Estante – Autores Portugueses

Livros na Estante – Autores Portugueses

Última atualização: 03-04-2018

  1. O Que Queres Ser?, Marta Monteiro e Maria João Viegas
  2. Os Loucos da Rua Mazur, João Pinto Coelho
  3. Os Corpos, Rodrigo Magalhães
  4. Não se Deixe Enganar, COMCEPT
  5. Sinais de Fogo, Jorge de Sena (Coleção Miniatura [nova] #5)
  6. Arquipélago, Joel Neto
  7. O Olhar do Açor, Sandra Carvalho (Crónicas da Terra e do Mar #1)
  8. Os Maias, Eça de Queirós (Clássicos para Leitores de Hoje #19)
  9. O Ano da Morte de Ricardo, Reis José Saramago
  10. Adoração, Cristina Drios
  11. A vida no campo, Joel Neto
  12. Nem Todas as Baleias Voam, Afonso Cruz
  13. Uma Dor Tão Desigual, Vários Autores
  14. Céu em Fogo, Mário de Sá-Carneiro (Clássicos para Leitores de Hoje #13)
  15. Poemas, Mário de Sá-Carneiro (Clássicos para Leitores de Hoje #14)
  16. As Viúvas de Dom Rufia, Carlos Campaniço
  17. O Diabo Tranquilo, Isabel Rio Novo
  18. Pai Nosso, Clara Ferreira Alves
  19. Os Dez Livros de Santiago Boccanegra, Pedro Marta Santos
  20. Expressoes Idiomáticas Ilustradas, Sofia Rente
  21. Beleza Natural, Maria do Céu Painhas
  22. Portugueses nos Campos de Concentração Nazis, Patrícia Carvalho
  23. O Filho de Mil Homens, valter hugo mãe
  24. O Torcicologologista, Excelência, Gonçalo M. Tavares
  25. O Luto de Elias Gro, João Tordo
  26. O Paraíso Segundo Lars D., João Tordo
  27. Rainha D. Amélia, José Alberto Ribeiro
  28. Flores, Afonso Cruz
  29. D. Teresa, Isabel Stilwell
  30. Desassossego da Liberdade, Vários
  31. O Último Europeu, Miguel Real
  32. Amália – O Romance da sua vida, Sónia Louro
  33. Livro do Desassossego, Fernando Pessoa
  34. Os Demónios de Álvaro Cobra, Carlos Campaniço
  35. À noite logo se vê, Mário Zambujal
  36. Um Deus Passeando Pela Brisa da Tarde, Mário de Carvalho
  37. Os Anos de Ouro da Pulp Fiction Portuguesa, Luís Corte Real
  38. A Simbólica do Espaço em O Senhor dos Anéis de J.R.R.Tolkien, Maria do Rosário Monteiro
  39. Jerusalém, Gonçalo M. Tavares
  40. A Pátria dos Loucos, Bernardo Rodo