2014 Reading Challenge

2014 Reading Challenge
Célia has read 0 books toward her goal of 75 books.
hide

Estou a Ler

Newsletter

Arquivo

Creative Commons License This blog by Estante de Livros is licensed under a Creative Commons Atribuição-Não a Obras Derivadas 2.5 Portugal License.

Visitas desde 20/07/2007

Arquivo da categoria ‘Jacqueline Carey’

[Opinião] Kushiel’s Scion, de Jacqueline Carey

Thursday, September 6, 2012 Post de Célia

Autor: Jacqueline Carey
Série: Kushiel #4 | Imriel’s Trilogy #1
Editora: Grand Central Publishing
Páginas: 944
ISBN: 9780446610025

 

Nota prévia: Sinopse, informações sobre o livro e a minha opinião podem conter alguns spoilers para quem ainda não leu a primeira trilogia toda (ou os 6 volumes a que a mesma corresponde em Portugal).

Sinopse: Imriel de la Courcel’s blood parents are history’s most reviled traitors, but his adoptive parents, the Comtesse Phèdre and the warrior-priest Joscelin, are Terre d’Ange’s greatest champions. Stolen, tortured, and enslaved as a young boy, Imriel is now a Prince of the Blood, third in line for the throne in a land that revels in art, beauty, and desire. It is a court steeped in deeply laid conspiracies … and there are many who would see the young prince dead. Some despise him out of hatred for his birth mother Melisande, who nearly destroyed the realm in her quest for power. Others because they fear he has inherited his mother’s irresistible allure – and her dangerous gifts. And as he comes of age, plagued by dark yearnings, Imriel shares their fears. At the royal court, where gossip is the chosen poison and assailants wield slander instead of swords, the young prince fights character assassins while struggling with his own innermost conflicts. But when Imriel departs to study at the famed University of Tiberium, the perils he faces turn infinitely more deadly. Searching for wisdom, he finds instead a web of manipulation, where innocent words hide sinister meanings, and your lover of last night may become your hired killer before dawn. Now a simple act of friendship will leave Imriel trapped in a besieged city where the infamous Melisande is worshiped as a goddess; where a dead man leads an army; and where the prince must face his greatest test: to find his true self.

Opinião: Depois do sucesso da primeira trilogia, Jacqueline Carey regressa ao seu mundo renascentista inventado, uma espécie de história alternativa cujas personagens principais são oriundas de Terre d’Ange (França), e em que os deuses representaram papéis importantes na história da humanidade e no destino das pessoas. É um mundo rico, com uma mitologia bem alicerçada, e que serve como pano de fundo perfeito às aventuras que o leitor vai acompanhando. Kushiel’s Scion é o primeiro volume de uma nova trilogia que decorre no mundo Kushiel. Ao invés de ser narrado por Phèdre, como nos volumes anteriores, é narrado por Imriel de la Courcel, filho da maior adversária de Phèdre, Melisande Sharizai.

 

A personagem central deste livro é Imriel, filho adotivo de Phèdre e Joscelin e filho biológico da culpada por muitas das desventuras do casal. A ação tem início poucos anos após o final de Kushiel’s Avatar (o 3.º livro da primeira trilogia) e vai encontrar as personagens já nossas conhecidas num ambiente calmo e familiar, num retiro campestre. Uma carta de Melisande despoleta medos antigos e faz com que Imriel comece a pensar cada vez mais insistentemente na sua ligação ao deus Kushiel. A primeira fase do livro acompanha, assim, o crescimento de Imriel, a sua passagem pela adolescência e os seus dilemas entre aquilo que desejava ser e aquilo que realmente é. Ao mesmo tempo, vamos acompanhando as intrigas políticas da corte liderada pela Rainha Ysandre, aqui com menos protagonismo do que vimos noutros livros da autora. A entrada na idade adulta leva Imriel a rumar a Tiberium (Roma), onde pretende estudar e formar-se como homem. Aqui encontra novos amigos, conhece-se melhor a si próprio e ainda tem oportunidade para desvendar alguns segredos bem enterrados no passado. 

 

Como narrador, confesso que achei Imriel menos interessante que Phèdre. São duas personagens diferentes, e apesar de Imriel ter também várias tonalidades na sua personalidade, para já não me cativa tanto. A escrita continua ao mesmo nível, assim como a adição de personagens secundárias com as quais o leitor se importa e identifica. Em termos de enredo, considero que fica uns furos abaixo dos livros anteriores. O último terço do livro, cheio de ação e vários acontecimentos, aborreceu-me porque fiquei com a sensação que se passaram páginas e páginas de coisas pouco relevantes para a história central. Contudo, a forma como o livro termina abre o apetite para o que se seguirá – felizmente já tenho os dois volumes seguintes na minha estante.

 

Foi bom regressar ao mundo Kushiel, mas este livro não me cativou tanto como os anteriores. É, na sua essência, um livro sobre o crescimento, com alguma intriga política, viagens, aventuras e sensualidade. Achei o narrador um pouco menos interessante e a história em si teve momentos mais aborrecidos. Apesar disso, a escrita continua de grande qualidade.

 

Classificação: 3/5 – Gostei

 


[Opinião] A Marca de Kushiel, de Jacqueline Carey

Friday, November 19, 2010 Post de Célia

Autor: Jacqueline Carey
Título Original: Kushiel’s Dart (2.ª metade)
Série: Kushiel PT#2 | Kushiel #1.2
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 416
ISBN: 9789896372200
Tradutor: Teresa Martins de Carvalho

Sinopse: Para trás ficaram Terre d’Ange e as intrigas palacianas, a Corte das Flores da Noite, os amados Delaunay e Alcuin, os amigos, patronos e tudo o que para Phèdre evoca a palavra “casa”… Para trás ficaram também a herdade e a familiaridade da sua ternura tosca, a gentileza das suas mulheres e a beleza das suas cantigas… Diante de Phèdre abre-se agora a incógnita de um destino de cativeiro às mãos do cruel Waldemar Selig, no ambiente hostil da sua herdade e das suas gentes… O desvendar da ameaça que paira sobre Terre d’Ange, dos planos de um poderoso comandante e dos traidores d’Angelines. Pela pena de Phèdre, afrontamos o Mais Amargo Inverno através da vastidão skáldica. O retorno a Terre d’Ange e a oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido. Traição, guerra, desafio, imolação, amor e redenção. Logrará Phèdre fazer jus à Marca de Kushiel e concretizar esse sonho tão ansiado?

 

Opinião: A Marca de Kushiel, segundo volume da saga Kushiel, começa precisamente onde O Dardo de Kushiel terminou, ou não fosse a segunda parte do primeiro volume original. Quem vem acompanhando as minhas leituras sabe que já tinha lido este livro na sua versão original e que tinha gostado muito. Este livro foi, portanto, um exercício interessante de releitura a que, infelizmente, não tenho dedicado mais do meu tempo.

 

Se o primeiro volume consistiu mais numa introdução ao mundo criado pela autora, este apresenta um ritmo de acontecimentos mais acelerado e dinâmico. Phèdre e Joscelin passam por diversas aventuras e provações e vão encontrando outras personagens pelo caminho, que ajudam a enriquecer a história e a familiarizar o leitor com todos os costumes e regras não só de Terre d’Ange, mas também de outros países. No volume anterior, já tínhamos “visitado” Skaldia (país com tons nórdicos, correspondente à localização da Alemanha/Áustria), e desta vez temos oportunidade de vislumbrar Alba, a Inglaterra do mundo de Jacqueline Carey. É um livro que apresenta algumas surpresas e encruzilhadas aos nossos amigos, e o destino da vilã da história deixa o caminho aberto ao que se seguirá nos próximos volumes.

 

Gostei tanto da primeira leitura que tinha algum receio de voltar a ler e quebrar um pouco esse encanto. Contudo, e apesar de já saber à partida o rumo dos acontecimentos, foi um prazer voltar a esta autora e “reviver” a história e os desafios das personagens, aproveitando para tomar mais atenção a detalhes que me escaparam à primeira. Esta leitura foi, por isso, um enorme prazer, e vou aguardar pela publicação do 4.º volume em português para empreender a releitura do 2.º volume original. Mais do que recomendado! 

 

Classificação: 5/5 – Adorei

Livro n.º 94 de 2010


[Opinião] O Dardo de Kushiel, de Jacqueline Carey

Wednesday, March 24, 2010 Post de Célia

Autor: Jacqueline Carey
Título Original: Kushiel’s Dart (2001)
Série: Kushiel #1.1
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 400
ISBN: 9789896371852
Tradutor: Teresa Martins de Carvalho

 

Sinopse: Terre d’Ange é um lugar de beleza sem igual. Diz-se que os anjos deram com a terra e a acharam boa… e que a raça resultante do amor entre anjos e humanos se rege por uma simples regra: ama à tua vontade. Phèdre é uma jovem nascida com uma marca escarlate no olho esquerdo. Vendida para a servidão em criança, é comprada por Delaunay, um fidalgo com uma missão muito especial… Foi, também ele, o primeiro a reconhece-la como a eleita de Kushiel, para toda a vida experimentar a dor e o prazer como uma coisa só. Phèdre é adestrada nas artes palacianas e de alcova, mas, acima de tudo, na habilidade de observar, recordar e analisar. Espia talentosa e cortesã irresistível, Phèdre tropeça numa trama que ameaça os próprios alicerces da sua pátria. A traição põe-na no caminho; o amor e a honra instigam-na a ir mais longe. Mas a crueldade do destino vai levá-la ao limite do desespero… e para além dele. Amiga odiosa, inimiga amorosa, assassina bem-amada; todas elas podem usar a mesma máscara reluzente neste mundo, e Phèdre apenas terá uma oportunidade de salvar tudo o que lhe é mais querido.

 

Opinião: Acredito que, por esta altura, a maioria de vocês já esteja “farto” de saber que adoro esta autora e, em concreto, a série Kushiel, que se inicia com este “O Dardo de Kushiel” (corresponde à primeira metade do livro original). Já li os três primeiros livros em inglês e foi com enorme prazer que soube que a Saída de Emergência iria publicar estes livros por cá, o que serviu de pretexto a uma entrevista que a autora, de forma muito simpática, nos concedeu.

 

Na altura que li o primeiro livro desta série, deixei a minha opinião aqui, pelo que não vou resumir a história, mas apenas deixar as impressões que esta releitura me deixou. A verdade é que, nos últimos tempos, rara tem sido a ocasião em que me proponho reler livros que adorei, tanto por ter outras prioridades, como por receio que, com o tempo e o evoluir natural que qualquer leitor tem, a magia se perca. No entanto, curiosamente, parti para este releitura com um espírito diferente: o de reencontrar um mundo e as personagens que tanto gostei de conhecer, quando li os livros no original… quase como reencontrar velhos amigos.

 

Esta primeira metade do primeiro livro da série serve basicamente para nos dar a conhecer esta Europa Renascentista reinventada, cujo centro da acção decorre em Terre d’Ange (que corresponde à França real), o modo como funciona, os seus mitos e costumes. Acompanhamos o crescimento de Phèdre, a personagem principal, e o seu iniciar na dedicação aos dois deuses que parecem reger o seu destino: Naamah, a deusa do amor, e Kushiel, o deus da dor. Tem bastante intriga política, inúmeras personagens cujos nomes precisamos de seguir (valiosíssima, portanto, a listagem inicial de personagens), e uma protagonista que conta a sua história na primeira pessoa de uma forma quase hipnotizante.

 

Já tive oportunidade de referir noutras ocasiões e volto a repetir: adoro a escrita desta autora, a forma como ela vai tecendo a sua história, e como já sabia da sua tendência de deixar ao longo do texto pistas para o que o futuro reserva (porque é como se Phèdre estivesse a contar a sua história vários anos após ter decorrido), foi curioso lê-las e associá-las a coisas que já sei que vão acontecer – e isso não estraga a leitura, pelo contrário, torna-a ainda mais interessante. Curioso é, também, o surgir na história das minhas personagens preferidas, perceber como elas começaram e a forma como evoluíram.

 

Uma nota final para a tradução: tinha manifestado antes, numa das minhas opiniões, a curiosidade por perceber como iria o tradutor lidar com o estilo tão peculiar da Jacqueline Carey. Apesar de achar que, de um modo geral, foi um bom trabalho, não posso deixar expressar a sensação que tive de que se perdeu algo, talvez alguma da musicalidade… é difícil de explicar, até porque não sou nenhuma expert em tradução, mas a verdade é que me parece que esta autora é bastante difícil de traduzir, e por isso não sei se seria possível o resultado final ser melhor. De qualquer modo, é apenas um pormenor que não deve servir de impedimento a que possam começar aqui a acompanhar esta série fantástica. 

 

Classificação: 9/10 -Excelente

Livro n.º 24 de 2010


Kushiel’s Avatar

Tuesday, June 16, 2009 Post de Célia
Autora: Jacqueline Carey
Série: Kushiel #3
Editora: TOR
Páginas: 967
ISBN: 9780330420013

 

Sinopse: Ever since Phèdre nó Delaunay was sold into servitude as a child, her path has taken a strange, and often dangerous course. She has lain with princes and pirate kings and battled a wicked temptress still determined to win the crown at any cost. All this time Phèdre has had at her side the devoted swordsman Joscelin, who has never violated the central precept of the angel Cassiel: to protect and serve. Now Phèdre’s plans will put his pledge to the ultimate test. For she has never forgotten her childhood friend Hyacinthe, and has spent ten long years searching for the key to free him from his eternal indenture to the Master of Straits. To redeem Hyacinthe, Phèdre and Joscelin embark on a dangerous journey that will carry them to far-off countries where madness reigns, and to confront a power so mighty that none dare speak its name.

 

Opinião: Depois de ter lido os 2 primeiros volumes desta trilogia no ano passado (opiniões aqui e aqui), finalmente arranjei um tempinho para ler o terceiro e último volume desta que é a primeira trilogia escrita pela autora e que decorre no seu fantástico mundo fictício.

 

Para quem não sabe, esta trilogia que terminei decorre num mundo renascentista reinventado, onde a mitologia e os deuses desempenham um papel fundamental. Este livro decorre 10 anos após os acontecimentos do 2.º volume, sendo mais uma vez narrado na primeira pessoa por Phèdre nó Delaunay que terá de viajar para longe da sua casa, na companhia de Joscelin, numa demanda pela chave que permitirá libertar o seu amigo de infância Hyacinthe da maldição a que está preso. Entretanto, Phèdre tenta também localizar o paradeiro de Imriel, filho da sua inimiga Melisande e 3.º na linha do trono, que desapareceu misteriosamente do sítio onde tinha estado 10 anos escondido.

 

Jacqueline Carey volta, neste livro, a presentear-nos com a sua escrita cuidada e maravilhosa. Não me canso de a elogiar, porque aprecio imenso a forma como ela “tece a sua teia”, pegando em simples palavras para construir uma narrativa fantástica. Adorei reencontrar as personagens já minhas conhecidas e conhecer várias novas que surgiram. Mais uma vez, temos uma história repleta de aventuras, emoção e amor, e mais uma vez chamo a atenção para algumas descrições mais gráficas relacionadas com práticas sadomasoquistas, mas que não chocam quem não aprecie particularmente estas coisas, dada a forma elegante como são descritas e a importância que têm na construção da personagem principal e na história, de um modo geral.

 

No início deste ano, a Saída de Emergência anunciou no seu fórum BANG! que vai publicar a autora em Portugal (espero que optem pelos livros da série Kushiel), estando a primeira publicação prevista, em princípio, para 2010. Só me posso congratular com esta notícia, porque estes livros são excelentes. Já agora, fiquei curiosa para saber como é que o tradutor vai descalçar algumas botas, começando pelas várias expressões idiomáticas e terminando na captação do estilo muito próprio da escritora. Aguardo com bastante expectativa! 

 

Classificação: 9/10 – Excelente


Kushiel’s Chosen

Thursday, August 14, 2008 Post de Célia
Está terminado mais um volume da saga Kushiel’s Legacy, da autoria da escritora Jacqueline Carey (podem ver a minha opinião sobre o primeiro aqui). Kushiel’s Chosen segue as aventuras de Phèdre, no meio de intrigas de corte e na luta contra as conspirações contra a rainha de Terre D’Ange.
Mais uma vez, a autora consegue maravilhar-nos com uma escrita fluida e com uma história com raros momentos aborrecidos (uma proeza, tendo em conta as 900 páginas do livro!). Gostei do desenvolvimento da personagem principal e das personagens que a acompanham, bem como da sua verosimilhança; gostei muito também dos volte-faces da história: quando pensamos que as escolhas apenas recaem sobre duas opções distintas, surge uma terceira que nos surpreende completamente.
O mundo fictício criado pela Jacqueline Carey é muito especial e já ocupa um lugar especial no meu coração; este livro permite-nos dar mais uns passos no seu maravilhoso mundo imaginário. O único senão que lhe aponto é mesmo já não ter a novidade do primeiro, mas nada que diminua o prazer que a sua leitura me proporcionou. – Célia M.


8/10

PS: Sim, continuo de férias! As leituras avançam a bom ritmo ;)