Home / 4/5 / Opinião: Somos os 99% | Marc Grañó e Gonzalo Fanjul

Opinião: Somos os 99% | Marc Grañó e Gonzalo Fanjul

Autores: Marc Grañó e Gonzalo Fanjul
Título Original:
 Somos el 99%: Una vuelta en bici por la desigualdad (2017)
Editora: Nuvem de Tinta
Páginas: 216
ISBN: 9789896655051
Tradutor: Rita Custódio e Àlex Tarradellas
Origem: Recebido para crítica
Comprar aqui (link afiliado)

Sinopse: Edgar, Samira, Fabián, Paul e a Kassia não se conhecem e têm experiências de vida totalmente diferentes. No entanto, montados nas suas bicicletas, veem todos os dias algo que os une e afeta profundamente: a desigualdade. Um por cento da população mundial detém metade da riqueza do planeta. A outra metade é repartida pelos restantes 99%. Mas esses 99% são afetados diariamente pelas decisões tomadas pelo 1% mais rico, que impõe a injustiça da desigualdade a todos nós, interferindo com as nossas oportunidades, com o nosso futuro. Nós somos os 99%! Partindo das situações vividas por estes cinco jovens, vais perceber de que forma a desigualdade limita as suas vidas. Tudo nas nossas vidas é influenciado por esta realidade, e só compreendendo o quanto isso é verdade poderás fazer algo para mudar um mundo em que:
– Um em cada cinco jovens pode no acabar o ensino primário;
– Bastaria um quarto da comida desperdiçada por ano para podermos alimentar os 800 milhões de pessoas que passam fome.

Opinião: “Nós somos os 99%” foi um slogan usado pelo movimento Ocuppy em 2011, aludindo ao facto de apenas 1% da população dos Estados Unidos da América concentrar em si a maioria da riqueza do país. Tornou-se o mote da luta pelo fim da desigualdade em todo o mundo e é também o ponto de partida para este livro, onde os autores espanhóis Marc Grañó e Gonzalo Fanjul tentam explicar aos mais jovens aquilo que está em causa.

Somos os 99% conta a história de cinco jovens muito diferentes, utilizando a bicicleta como ponto de contacto para explicar, de uma forma simples e adequada ao seu público-alvo, o que é a desigualdade, nas suas vertentes económica, educativa, laboral, de recursos naturais e na saúde.

A história ficcional destes cinco jovens, das mais variadas origens, dá uma dimensão prática que ajuda a apreensão de conceitos genericamente complexos. Estas histórias vão sendo acompanhadas de algumas estatísticas simples mas elucidativas, ajudando os autores a explicar a desigualdade sem nunca tornar o texto demasiado exaustivo ou maçudo. Para isso contribuem também as ilustrações de Ed Carosia, uma ajuda preciosa para tornar a leitura mais apelativa.

Mas mesmo sendo claramente dirigido a um público juvenil, Somos os 99% é um livro que obriga todos a refletir. Vivendo num país relativamente pacífico e onde, apesar da persistência de desigualdades graves, é mais fácil ultrapassá-las do que em muitos países no mundo, as principais questões que me ficaram foi como explicar ao meu filho o que é a desigualdade, quando a questão se colocar, e o que podemos fazer para mudar as coisas, nem que seja apenas um bocadinho. Para a primeira parte, tenho neste livro uma ferramenta preciosa; para a segunda, algumas das respostas também estão neste livro: a secção final dá uma série de dicas aos mais jovens (e não só) para ações que podem ser realmente postas em prática por eles.

Tratando de um assunto muito sério, atual e pertinente, Somos os 99% é um livro indispensável para quem quer enfrentar o grande desafio que é fazer os mais novos compreenderem melhor uma questão fundamental do mundo em que vivemos. 

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.