Home / Célia / Opinião: Coisas de Meninas; Coisas de Meninos | Pri Ferrari

Opinião: Coisas de Meninas; Coisas de Meninos | Pri Ferrari

Autor: Pri Ferrari
Ano de Publicação Original: 2016/2017
Editora: Nuvem de Letras
Páginas: 56/40
ISBN: 9789896655068/9789896655587
Origem: Recebido para crítica
Comprar aqui Coisas de Meninas (link afiliado)
Comprar aqui Coisas de Meninos (link afiliado)

Sinopse: O que são coisas de meninas? Ora, isso é algo que todas as meninas (e todos os meninos) deveriam saber muito bem. Afinal, é na infância que percebemos que não existe uma regra e que todos podemos tudo: há meninos que gostam de brincar às casinhas e meninas que gostam de construir foguetões. Porque teremos, então, de nos adaptar a certos padrões de comportamento? Porque se diz ainda por aí que certas coisas não são apropriadas para meninas?

O que são coisas de meninos? Há meninos que querem ser super-heróis, jogadores de futebol e astronautas. Outros sonham ser estrelas de rock, viajar pelo mundo e cantar para multidões. Mas todos eles podem também gostar de brincar com bonecas, preparar deliciosas receitas e ter aulas de dança. Muitos meninos crescem a ouvir que não podem agir e sentir da mesma forma que as meninas – porque há de ser assim?

Opinião: Os estereótipos de género são uma das minhas maiores lutas como mãe. Em casa, um dos meus papéis é desfazer todas as ideias pré-feitas que os amigos e amigas, inocentemente, transmitem ao meu filho: o cor de rosa é de menina, aquilo é um brinquedo de menina, as meninas brincam com bonecas e os meninos com carrinhos, e por aí fora. Poder-me-ão dizer que há lutas mais importantes na educação de uma criança, e talvez seja verdade, mas não quero que o meu filho sinta que a preferência por uma cor ou determinado tipo de entretenimento o definem ou diminuem.

É por isso que livros como Coisas de Meninas e Coisas de Meninos são tão importantes. As crianças precisam de perceber que podem ser o que quiserem. No primeiro, a autora brasileira Pri Ferrari mostra às meninas que o futuro lhes reserva aquilo por que elas lutarem, sem as amarras do género. A História provou e continua a provar que as mulheres são tão capazes como os homens nas mais variadas atividades, assim lhes sejam dadas as devidas oportunidades.

Mas também é importante que os meninos saibam que, quando crescerem, podem chorar quando estão tristes, que há espaço para serem sensíveis e para dizer o que sentem sem parecerem mais fracos por isso. Há uma coisa que repito constantemente ao meu filho e que acho de extrema importância: “se não me disseres o que sentes, eu não consigo adivinhar“. É preciso que as crianças percebam desde cedo que a exteriorização de sentimentos é de extrema importância e as pode ajudar num sem fim de situações.

Estamos então perante dois livros formativos muito relevantes e pertinentes. Vivemos num mundo ainda com muitos preconceitos, e cabe a cada um de nós lutar para que, nas próximas gerações, eles se venham a esbater. Livros assim ajudam. Gostei muito e recomendo.


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.