Home / Novidades / Novidade Bertrand | Portugal em Chamas – Como Resgatar as Florestas, de João Camargo e Paulo Pimenta de Castro

Novidade Bertrand | Portugal em Chamas – Como Resgatar as Florestas, de João Camargo e Paulo Pimenta de Castro

Título: Portugal em Chamas – Como Resgatar as Florestas
Autor: João Camargo e Paulo Pimenta de Castro
Pág.: 160
Data de Lançamento: 15.06.2018
Comprar aqui (link afiliado)

«Ao final de tarde, registavam- se 40ºC em Lisboa. A temperatura em Santarém, por sua vez, alcançava os 45ºC. Na capital e no sul do país caíram trombas-d’água, deixando um cheiro a terra inusitado nestas latitudes. Descargas eléctricas de linhas de médica tensão de electricidade e raios de trovoadas secas tinham originado incêndios em Pedrógão Grande e em Góis. (…) A partir das 18 horas, o fogo tornou-se ingovernável.»
A partir de 15 de junho, os leitores encontrarão nas livrarias «Portugal em Chamas – Como Resgatar as Florestas», o livro que analisa o passado, alerta para a repetição de erros no presente e projecta o futuro com políticas alternativas, que visam garantir a viabilidade do interior do país e das florestas portuguesas. Da tropicalidade à modernidade, da invasão eucaliptal às desertificação da sociedade rural, dos donos da obra à continuação da governação por omissão, o novo livro de João Camargo e Paulo Pimenta de Castro aborda ainda a bioenergia como a possibilidade de um novo modelo extraactivista e prevê, ainda, as alterações climáticas que o país sofrerá até 2070. Como é que as florestas chegaram a este estado? Que influência exerceu a indústria das celuloses na esfera do poder político? Como podemos resgatar as florestas deste ciclo infernal e criar alternativas para um território sob a ameaça de se tornar deserto? As respostas a estas e muito e outras questões encontram-se neste livro que vai contra a falácia da inevitabilidade e a perigosa ilusão de obter resultados diferentes com as mesmas políticas.

Sinopse: Em 2017 registaram-se os maiores incêndios florestais de sempre em Portugal, com um número impressionante de mortes. Mas as condições que propiciam a repetição de tragédias com esta magnitude permanecem inalteradas: o círculo vicioso dos incêndios é alimentado pelo abandono de uma parte gigante do território, pela epidemia de uma espécie invasora altamente inflamável – o eucalipto – e por um clima em mutação, cada vez mais seco e quente. Nas últimas décadas, Portugal liderou sempre a tabela dos países europeus que mais ardem. Como é que as florestas chegaram a este estado? Que influência exerceu a indústria das celuloses na esfera do poder político? Como podemos resgatar as florestas deste ciclo infernal e criar alternativas para um território sob a ameaça de se tornar deserto? Contra a falácia da inevitabilidade e a perigosa ilusão de obter resultados diferentes com as mesmas políticas, este livro analisa o passado, alerta para a repetição de erros no presente e projeta o futuro com políticas alternativas que visam garantir a viabilidade do interior do país e das florestas. O tempo urge.

Sobre os autores: João Camargo (Lisboa, 1983) é licenciado em Engenharia Zootécnica e mestre em Engenharia do Ambiente e Produção Animal (Instituto Superior de Agronomia e Faculdade de Medicina Veterinária, Universidade de Lisboa). Foi jornalista, professor de Química e Botânica na Universidade Lúrio (Moçambique) e técnico da Liga para a Protecção da Natureza. É activista do movimento Climáximo, investigador do Instituto de Ciências Sociais da Universidade de Lisboa, no doutoramento em Alterações Climáticas e Políticas de Desenvolvimento Sustentável, e autor dos livros Que Se Lixe a Troika (2013) e Manual de Combate às Alterações Climáticas (2018).

Paulo Pimenta de Castro (Lisboa,1963) é licenciado em Silvicultura pelo Instituto Superior de Agronomia da Universidade de Lisboa. Foi docente no Ensino Profissional na área florestal, técnico superior na Confederação dos Agricultores de Portugal, secretário-geral da Federação dos Produtores Florestais de Portugal e da Associação Nacional das Empresas Florestais, Agrícolas e do Ambiente. Integrou o Conselho Consultivo Florestal do Ministério da Agricultura e foi perito no Conselho Consultivo das Florestas e da Cortiça junto da Comissão Europeia. É consultor e preside à Direção da Acréscimo, Associação de Promoção ao Investimento Florestal.


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.