Home / 4/5 / Opinião: Pensa Lá Bem | Anna Vivarelli

Opinião: Pensa Lá Bem | Anna Vivarelli

Autor: Anna Vivarelli
Ilustrador: Pedro Aires Pinto
Título Original:
 Pensa che ti ripensa (2014)
Editora: Nuvem de Letras
Páginas: 128
ISBN: 9789896652821
Tradutor: Sara Ludovico
Origem: Recebido para crítica
Comprar aqui (link afiliado)

Sinopse: Já reparaste na quantidade de perguntas que fazem parte da tua vida diariamente? Perguntas que fazes ou que gostarias de fazer, perguntas que ouves ou a que te pedem que respondas. Pois é bom sinal! Sinal de que és curioso, de que estás atento ao mundo que te rodeia e de que queres saber mais, sinal de que o teu pensamento está sempre em ação. São as perguntas que nos fazem evoluir. Não porque todas tenham resposta, longe disso, mas porque nos levam a pensar mais, a perguntar mais e a querer mais. A curiosidade e a interrogação podem despertar em qualquer situação. Tudo serve de pretexto: uma conversa com um amigo, um comentário que nos fazem, um sonho que parece mais real, um dia em que o tempo voa, o desaparecimento de alguém de quem gostas… E, de repente, surgem dúvidas e hesitações. O que significa ser amigo de alguém? O que quer dizer «bonito»? Por que motivo sonhamos? O que é o tempo? O que é o medo? O que é a morte?

Opinião: Quando andei na escola secundária, a disciplina de Filosofia não era, certamente, a preferida entre os alunos. Entretanto, já passaram cerca de 20 anos mas acredito que a situação se mantenha. Por este motivo, aplaudo todas as tentativas de apresentar aos estudantes os temas filosóficos de uma forma mais interessante e cativante ou, como é o caso de Pensa Lá Bem, começar a introduzir a filosofia antes da obrigatoriedade de a estudar na escola, numa perspetiva mais prática e menos teórica.

Pensa Lá Bem, disponível nas livrarias a partir de hoje, é recomendado a partir dos 10 anos e tem como principal objetivo que os jovens entendam a importância de questionar, de refletir e de procurar respostas ainda que saibamos que dificilmente as poderemos encontrar de forma definitiva. Numa linguagem perfeitamente adequada à faixa etária a que se destina, este é um livro que contém capítulos dedicados à amizade, ao tempo, ao medo, aos desejos, ao paradoxo da tolerância ou à empatia, entre vários outros temas.

As referências aos filósofos clássicos são várias, o que poderá constituir um primeiro contacto com os grandes pensadores da Humanidade. Mas estas alusões nunca se tornam aborrecidas, porque são sempre bem interligadas com exemplos da vida prática em que estes ensinamentos poderão ser aplicados.

Apesar de este ser um livro declaradamente dirigido aos mais jovens, poderá ser uma leitura igualmente agradável para um adulto. A filosofia não é, decididamente, um tema sobre o qual leia muito – ou, pelo menos, não em específico – por isso gostei muito de todas estas reflexões, em particular daquela que é dedicada à tolerância, tema que me é muito caro.

Não posso terminar sem referir as ilustrações do português Pedro Aires Pinto, que acompanham a edição portuguesa. Cumprem bem a sua função de oferecer ao texto uma componente mais lúdica, tornando por isso a leitura mais cativante para os mais jovens. Recomendo!

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.