Home / 2/5 / Opinião: A Tua Segunda Vida Começa Quando Percebes Que Não Terás Outra | Raphaëlle Giordano

Opinião: A Tua Segunda Vida Começa Quando Percebes Que Não Terás Outra | Raphaëlle Giordano

GiordanoAutor: Raphaëlle Giordano
Título Original:
Ta deuxième vie commence quand tu comprends que tu n’en as qu’une (2015)
Editora: Suma de Letras
Páginas: 232
ISBN: 9789896652210
Tradutor: Patrícia Xavier
Origem: Recebido para crítica
Comprar aqui (link afiliado)

Sinopse: Camille tem tudo e parece estar feliz. Então, por que sente a felicidade escorregar-lhe por entre os dedos? Quando Claude, rotinólogo, se oferece para a ajudar, ela não hesita. Através de experiências surpreendentes e incríveis, Camille vai, passo a passo, transformando sua vida e começa a conquistar seus sonhos. Um romance enternecedor e autêntico sobre a capacidade de nos reinventarmos. 

Opinião: Raphaëlle Giordano, autora francesa especialista em desenvolvimento pessoal e criatividade, estreou-se no romance com o título sugestivo A Tua Segunda Vida Começa Quando Percebes Que Não Terás Outra, que tem sido um fenómeno de vendas no seu país natal. Em traços gerais, a personagem principal sofre de algo bastante comum nos dias que correm: apesar de parecer ter tudo para ser feliz, há pequenas coisas não a deixam desfrutar da felicidade que parece tão ao alcance. Num daqueles dias em que tudo parece correr mal, Camille encontra casualmente Claude, que se apelida de rotinólogo e que promete ajudá-la através da implementação de pequenas alterações na forma como encara os vários aspetos da sua vida, numa caminhada que tem como objetivo final o alcançar da felicidade plena.

A autora socorre-se de uma história ficcionada para fornecer ao leitor ferramentas aparentemente simples e que têm como objetivo melhorar o dia-a-dia e expulsar da sua vida as pequenas irritações e aborrecimentos que a consomem e ameaçam torná-la num suplício. Estas dicas assentam bastante em alterações a implementar nas relações interpessoais com outros mas, acima de tudo, connosco próprios. Após uma análise interior, Camille começa a trabalhar na melhoria das suas relações com a família, amigos e colaboradores e consegue, em última análise, perseguir os seus sonhos, utilizando o tempo de vida que lhe é dado para trabalhar em algo que sempre quis.

Dizer-se que a autora utiliza o formato de romance para transmitir uma série de ideias que normalmente aparecem associadas a livros de auto-ajuda é correto. Pessoalmente, não me incomodou e até achei refrescante. No entanto, nem sempre me pareceu que esta mistura tivesse sido conseguida a 100%. Por vezes, os conceitos são apresentados como se de um livro de auto-ajuda se tratasse, levando a que me esquecesse que estava a ler um romance. Penso que o livro teria ganho com um maior ênfase no construção das personagens e na relação entre elas, em vez do grande destaque dado às interações entre Claude e Camille, nas quais ele lhe transmite toda a “ciência” da rotinologia. Acho que, por querer tanto transmitir as suas ideias e conceitos, a autora acaba por tornar o caminho da personagem principal demasiado fácil e perfeito, rumo à mudança, quando sabemos que a realidade é, na maior parte das vezes, frutífera em contratempos.

Apesar de alguns aspetos que considero menos conseguidos, este acaba por ser um livro que se lê bem, que transmite algumas ideias interessantes, nomeadamente a nível de diagnóstico e de melhorias a implementar baseadas, entre outras coisas, na comunicação, que poderão, numa primeira fase, orientar quem ache que precisa de uma mudança relevante na sua vida.  

Classificação: 2/5 – OK


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.