Home / Bertrand / Novidade Bertrand | Mães Arrependidas, de Orna Donath

Novidade Bertrand | Mães Arrependidas, de Orna Donath

mãesTítulo: Mães Arrependidas
Autor: Orna Donath
Pág.: 232
Data de Lançamento: 23.06.2017

Chega no dia 23 de junho às livrarias portuguesas «Mães Arrependidas», um livro indispensável para um debate de uma atualidade premente, a da maternidade. Fruto de uma investigação realizada por Orna Donath entre 2008 e 2013, «Mães Arrependidas» descreve vários caminhos percorridos por mulheres, de diferentes grupos sociais, que se arrependeram de ter sido mães. Com vinte e três testemunhos de mães que desejam não o ter sido, a socióloga orienta os leitores pelos caminhos da maternidade, nomeadamente pelo que é ditado pela sociedade versus o que as mulheres vivenciam; pelas exigências e pelo que é esperado que as mães devem parecer, fazer e sentir; pelo arrependimento materno e pelo desejo de se desfazer o irreversível; pelas experiências destas mulheres e pela procura de identidade entre o silêncio e o discurso; e ainda pela investigação das mães por meio do arrependimento. «Neste livro, descrevo os vários caminhos que estas mulheres percorreram até chegarem à maternidade, analiso os seus mundos intelecto-emocionais após o nascimento dos seus filhos, e conceptualizo os seus sentimentos e os conflitos dolorosos nas suas vidas fruto da discrepância entre o desejo de serem mães-de-ninguém e o facto de serem mães de filhos. Além disso, investiguei o modo como diferentes mulheres reconhecem e lidam com estes conflitos», afirma a autora na introdução do livro.

Sinopse: As mulheres que escolhem não ser mães são muitas vezes avisadas de que se virão a arrepender mais tarde na vida – mas muito raramente se discute a hipótese de o contrário poder ser verdade: que existam mães arrependidas. A socióloga Orna Donath quebra o silêncio à volta deste assunto tabu, num estudo muitíssimo revelador, ponto em questão a suposição prevalente de que a maternidade seja um papel «natural» para as mulheres. O seu estudo tem por base entrevistas realizadas a mulheres de diversas idades que assumiram ter-se arrependido de ser mães. Mulheres que, embora amem profundamente os seus filhos, não encontraram na maternidade a «realização» que a cultura dominante profetiza, e preferiam não ser assumido esse papel ou gostariam de voltar atrás. Mulheres que decidiram ser mães pelas mais variadas razões (desde a pressão social até um forte desejo pessoal) e que, ao longo do seu percurso enquanto mães, foram constantemente acompanhadas de uma sensação de arrependimento – e da consequente sensação de isolamento e culpa. A maternidade é um dos derradeiros tabus identitários, e quando o seu estatuto é questionado, a reação social e cultural tende a ser defendida. Contudo, e por polémico ou perturbante que o tema seja, é fundamental levantar esta discussão de forma aberta e franca – que Mães Arrependidas consegue magistralmente.

Sobre a autora: Orna Donath (1976) é socióloga e investigadora na Universidade Ben-Gurion, no Neguev, em Israel. A sua área de estudo tem sido desenvolvida em redor do tema das expectativas sociais enfrentadas pelas mulheres. É autora de vários estudos e publicações científicas e Mães Arrependidas é o seu primeiro livro a ser publicado internacionalmente. Para além de edições por toda a Europa e EUA, o livro despoletou um aceso debate mediático. A par do seu trabalho académico, Orna Donath é voluntária no centro de apoio a vítimas de violência sexual Hasharon, no centro de Israel.


Sobre Célia