Home / Célia / [Opinião] O Clube dos Ténis Vermelhos, de Ana Punset

[Opinião] O Clube dos Ténis Vermelhos, de Ana Punset

27306106Autor: Ana Punset
Título Original:
 El club de las Zapatillas Rojas (2013)
Série: O Clube dos Ténis Vermelhos #1
Editora: Nuvem de Letras
Páginas: 272
ISBN: 9789896650032
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: Um livro sobre a amizade entre raparigas. Lúcia, Rita, Bia e Marta são amigas inseparáveis desde sempre e para sempre. Um dia Marta traz uma má notícia: ela e a família vão mudar de casa para Berlim! As quatro amigas decidem criar O CLUBE DOS TÉNIS VERMELHOS, para ficarem juntas para sempre e provarem que a verdadeira amizade é mais forte que a distância.

Opinião: A pré-adolescência/adolescência é, normalmente, uma altura da vida cheia de grandes alterações, marcada pela mudança da nossa perceção do mundo e pela crescente importância da socialização. Não é uma fase da minha vida que recorde com enorme saudade, mas tenho noção de que foi importante na minha evolução pessoal. O Clube dos Ténis Vermelhos é um livro que tem como público-alvo a faixa etária dos 10 aos 13-14 anos e foca-se num grupo de amigas e no seu dia-a-dia em casa e na escola.

O acontecimento central do enredo é a partida de uma das quatro amigas para Berlim; cada uma delas decide pedir pelo Natal uns ténis vermelhos que servissem de símbolo à sua amizade, e são estes que dão o nome ao Clube que decidem criar para as unir ainda mais. Lúcia é a personagem em que o livro mais se foca e, provavelmente, é uma miúda com a qual as jovens destas idades se conseguirão identificar: filha de pais separados, aluna com algumas dificuldades na escola, e que tem uma paixoneta por um dos rapazes mais giros da escola. Quando as três amigas sabem de um concurso para ver Justin Bieber em Berlim, decidem empenhar-se na sua participação para terem a oportunidade de rever Marta, mas o vídeo que pretendem gravar acaba por suscitar situações de conflito e passa por muitas vicissitudes antes de ficar completo.

Penso que o meu eu de 12-13 anos teria gostado deste livro, ainda que as referências sociais e musicais fossem outras há 20 anos. É um livro com potencial para cativar a faixa etária a que se dirige, pela identificação com personagens e situações. Há que destacar o aspeto gráfico desta edição, não só pelas ilustrações que ajudam a visualizar pessoas e situações, mas também pelo detalhes que vão acompanhando o texto e que o ajudam a ser mais simpático de ler. Parece-me uma boa opção se quiserem oferecer um livro a uma jovem dentro das idades que referi.


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.