Home / 4/5 / [Opinião] Pura Coincidência, de Renée Knight

[Opinião] Pura Coincidência, de Renée Knight

1507-1 (2)Autor: Renée Knight
Título Original:
Disclaimer (2015)
Editora: Suma de Letras
Páginas: 304
ISBN: 9789898775757
Tradutor: Isabel Veríssimo
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: E se de repente se apercebesse de que é o protagonista do aterrador romance que está a ler? Catherine tem uma boa vida: goza de grande sucesso na profissão, é casada e tem um filho. Certa noite, encontra na sua mesa de cabeceira um livro com o título “O perfeito desconhecido”. Não sabe como terá ido parar ao seu quarto ou quem o terá ali posto. Ainda assim, começa a lê-lo e rapidamente fica agarrada à história de suspense. Até que, depois ler várias páginas, chega a uma conclusão aterradora. O perfeito desconhecido recria vividamente, sem esquecer o mais ínfimo detalhe, o fatídico dia em que Catherine ficou prisioneira de um segredo terrível. Um segredo que só mais uma pessoa conhecia. E essa pessoa está morta.

Opinião: Qualquer semelhança com a realidade é pura coincidência“, é a frase que vemos muitas vezes em livros, mas no caso do livro que apareceu de forma misteriosa no correio de Catherine poderia aplicar-se de forma mais acertada o “não há coincidências“. O dito livro, chamado “Perfeito Desconhecido“, tem acontecimentos assustadoramente semelhantes a uma época da vida de Catherine, algo que ela lutou durante 20 anos por manter enterrado, longe do conhecimento do seu marido e filho. O problema é que o livro acaba por chegar também às mãos de ambos, e as suas reações são tão negativas como seria de esperar.

O livro é, na sua maioria, relatado a duas vozes, intercalando o ponto de vista de Catherine com o de Stephen, um homem septagenário intimamente ligado à produção do livro que tanto atormenta Catherine. À medida que a narrativa vai avançando, a curiosidade do leitor é cada vez mais aguçada, uma vez que apenas vemos as consequências que a revelação do segredo de Catherine vai tendo nas pessoas que a rodeiam, mas ficamos sempre com a sensação que há algo mais que não nos está a ser revelado. E é por isso que a leitura avança rapidamente, movida pela vontade de desvendar a realidade do passado de Catherine.

Tenho de confessar que a parte inicial me deixou um bocado confusa, porque tive alguma dificuldade em perceber as ligações entre as duas personagens que conhecemos nos dois pontos de vista principais. A autora tenta um equilíbrio entre revelar o suficiente e não revelar demasiado, e não tenho a certeza que isto tenha sido sempre bem conseguido. Contudo, assim que entrei no ritmo da história não consegui parar. As peças vão-se encaixando, e a autora presenteia-nos com twists inesperados que ajudam a história a ganhar interesse e solidez.

A própria componente de desenvolvimento das personagens e da sua profundidade psicológica vai ganhando força à medida que o livro avança, de modo que o leitor acaba por vê-las de forma cada vez mais real. A escrita não é particularmente elaborada, mas funciona bem neste tipo de livro; ainda que não seja perfeito, é um thriller psicológico cativante e viciante. Não poderia deixar também de elogiar a capa desenvolvida para a edição portuguesa, que quanto a mim foge de uma forma muito agradável às capas que vamos vendo por aí. Pura Coincidência está nas livrarias a partir de hoje.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.