Home / 4/5 / [Opinião] O Talentoso Mr. Ripley, de Patricia Highsmith

[Opinião] O Talentoso Mr. Ripley, de Patricia Highsmith

6501187Autor: Patricia Highsmith
Título Original:
The Talented Mr. Ripley (1955)
Editora: Biblioteca Sábado
Páginas: 199
ISBN: n.d.
Tradutor: José Lourenço Galego
Origem: Comprado

Sinopse: Tom Ripley, um jovem desempregado que se dedica a pequenas burlas, é contactado pelo pai de um velho conhecido, que lhe oferece uma viagem a Itália com todas as despesas pagas para tentar convencer o seu filho Dickie a voltar para casa e encarregar-se da empresa familiar. Na Itália, Tom afeiçoa-se a Dickie e conhece uma existência despreocupada e luxuosa a que nunca tinha tido possibilidade de aceder. Quando Dickie começa a suspeitar das boas intenções do seu novo amigo, Tom fica desesperado, chegando a extremos impensáveis para poder manter o acesso àquele estilo de vida.

Opinião: Tenho uma pilha de livros na mesa de cabeceira, de onde vou retirando o próximo livro a ler. Não sabia qual escolher, por isso pedi à minha cara-metade que escolhesse um por mim; ele escolheu O Talentoso Mr. Ripley, porque viu o filme há uns anos e gostou bastante.

A personagem central do livro, como se deduz pelo seu título, é Tom Ripley, um jovem americano desempregado e sem grandes perspetivas de futuro. Quando Mr. Greenleaf o procura e lhe pede para rumar a Itália e convencer o filho, Dickie Greenleaf, a voltar para os E.U.A. e ficar perto da mãe no tempo que lhe restava, Tom encara esta viagem como uma oportunidade de refazer a sua vida e deixar de ser o homem banal que se considera.

Tom vai para Itália, conhece Dickie e a sua amiga Marge e, de repente, dá por si a invejar Dickie e o seu estilo de vida. Tom torna-se demasiado dependente de Dickie, começa a interferir demasiado na sua vida e de repente percebemos que estamos perante uma pessoa obcecada e com graves problemas morais. Não vou adiantar muito mais sobre o enredo, porque a partir de um certo acontecimento o livro deixa-nos constantemente com o coração nas mãos e sempre ansiosos por saber qual o destino de Tom Ripley.

Confesso que até esse acontecimento o livro me aborreceu um bocadinho. Contudo, agora compreendo que a autora estava a criar o ambiente necessário a tudo o que se seguiu, em especial a construção da sua personagem principal. Tom Ripley é fantástico: amoral, obcecado, meticuloso e ingénuo, tudo ao mesmo tempo. É daquelas personagens que adoramos odiar, que nos deixa indecisos quanto ao que devemos desejar-lhe. Acho que, por um lado, desejamos que Tom pague pelos seus atos, mas, por outro, a sua constante proximidade do abismo aflige-nos – muito provavelmente pela mestria da autora em fazer-nos entrar na cabeça da personagem. Escusado será dizer que recomendo vivamente este livro.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.