Home / 3/5 / [Opinião] Ceremony in Death, de J.D. Robb

[Opinião] Ceremony in Death, de J.D. Robb

74036Autor: J.D. Robb
Ano de Publicação: 1997
Série: In Death #5
Páginas: 327

Sinopse: Even in an age of cutting-edge technology, old beliefs die hard…



Conducting a top secret investigation into the death of a fellow police officer has Lieutenant Eve Dallas treading on dangerous ground. She must put professional ethics personal loyalties. But when a dead body is placed outside her home, Eve takes the warning personally. With her husband, Roarke, watching her every move, Eve is drawn into the most dangerous case of her career. Every step she takes makes her question her own beliefs of right and wrong – and brings her closer to a confrontation with humanity’s most seductive form of evil…
 

Opinião:  A série In Death está lentamente a tornar-se um vício. Cada volume apresenta-nos um caso policial individual, enquanto vamos acompanhando as vidas e dilemas pessoais das personagens já nossas conhecidas. Desta vez, a morte aparentemente acidental de um colega de profissão leva Eve Dallas, a detetive protagonista da série, aos meandros do oculto.

O caso policial deste livro não me interessou lá muito, porque oculto e esoterismo não são temas que me atraiam e porque não tem uma resolução particularmente surpreendente. Ainda assim, o seu desenvolvimento inclui algumas personagens interessantes, ainda que por vezes demasiado estereotipadas.

Por falar em personagens, estas são o principal foco de interesse nesta história. Sei que estou a repetir-me em relação ao que disse em volumes anteriores, mas de facto as interações entre elas e o estreitar de laços afetivos (neste livro, com alguns momentos intensos) são aquilo que esta série tem de melhor e que conseguem manter o interesse do leitor de forma eficaz. Eve cativa pela luta constante entre o passado tenebroso e o presente relativamente feliz, tentando encontrar um equilíbrio entre os dois; Roarke, apesar de ser um pilar essencial, é um homem com um passado igualmente difícil; Peabody, a companheira de Eve, traz uma caráter humorístico às histórias e despoleta sentimentos de amizade em Eve (e no leitor!); e várias outras personagens secundárias dão brilho a estes livros.

Portanto, sem ser um portento literário, tenho-me divertido imenso com esta série. Principalmente pelas personagens bem desenvolvidas, mas também porque os livros estão escritos de forma eficaz e despretensiosa. Para continuar a seguir.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.