Home / 3/5 / [Opinião] Magic Bites, de Ilona Andrews

[Opinião] Magic Bites, de Ilona Andrews

38619Autor: Ilona Andrews
Ano de Publicação: 2007
Série: Kate Daniels #1
Páginas: 260
Origem: Ganho em passatempo

Sinopse: When the magic is up, rogue mages cast their spells and monsters appear, while guns refuse to fire and cars fail to start. But then technology returns, and the magic recedes as unpredictably as it arose, leaving all kinds of paranormal problems in its wake.



Kate Daniels is a down-on-her-luck mercenary who makes her living cleaning up these magical problems. But when Kate’s guardian is murdered, her quest for justice draws her into a power struggle between two strong factions within Atlanta’s magic circles.



The Masters of the Dead, necromancers who can control vampires, and the Pack, a paramilitary clan of shapechangers, blame each other for a series of bizarre killings—and the death of Kate’s guardian may be part of the same mystery. Pressured by both sides to find the killer, Kate realizes she’s way out of her league—but she wouldn’t have it any other way…
 

Opinião: Fantasia urbana/paranormal não é um género que, por norma, leia muito. Li boa parte da série Sookie Stackhouse, da Charlaine Harris, antes daquilo ter começado a descambar (o que me fez desistir no 10.º volume) e também gosto de acompanhar a série Mercy Thompson, da Patricia Briggs, apesar de ainda me faltarem ler dois dos oito livros publicados até ao presente. A série Kate Daniels sempre me despertou a atenção e as opiniões são quase unânimes em que é das melhores séries do género, por isso a minha curiosidade era mais que muita.

O cenário desta história é a cidade de Atlanta numa época pós-apocalíptica, onde a magia interfere com muitos aspetos da tecnologia que hoje conhecemos e que, por vezes, empresta a este mundo características mais tradicionais, como a circulação em cavalos. Kate Daniels é uma mercenária que vende os seus serviços a quem necessite de lidar com problemas “mágicos” e no início do livro vê-se confrontada com a morte do seu protetor, que era a única família que tinha, em circunstâncias no mínimo estranhas. Kate decide envolver-se na investigação deste assassinato, o que a leva ao contacto com metamorfos – e o seu respetivo líder, Curran – bem como a mais uma série de seres sobrenaturais.

O enredo é, assim, uma mistura de aventura sobrenatural com policial, com várias cenas gore à mistura e uma heroína que, goste-se ou não, imprime um tom muito próprio à narrativa. Eu não posso dizer que tenha gostado particularmente de Kate: a sua postura de constante desafio e provocação em relação à maior parte das pessoas com quem interage tornou-se um bocado irritante, apesar de ter noção que a protagonista usa estes artifícios para esconder a pessoa reservada que é e mais alguns segredos que ficaram por revelar. O mundo criado pelos autores (Ilona Andrews é, na verdade, o nome utilizado pelo casal que escreve estes livros) parece interessante, apesar de no início parecer algo confuso, mas peca, a meu ver, por ser mais secundário do que deveria ter sido.

Acabou por ser uma leitura inconstante: comecei o livro com bastante interesse, mas mais ou menos a meio já estava desinteressada do enredo e do que poderia vir a acontecer; prossegui e a fase final voltou a ganhar fôlego, especialmente ao nível do interesse romântico que começa a despontar e que provavelmente será desenvolvido nos livros seguintes. Hesitei entre o “gostei” e o “ok”, mas no cômputo geral percebi que até gostei do livro, apesar de tudo. Não o suficiente para me fazer investir nos volumes seguintes, mas ainda assim penso ser um bom começo de série para quem aprecia este género literário.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.