Home / 3/5 / [Opinião] O Cão Vermelho, de Louis de Bernières

[Opinião] O Cão Vermelho, de Louis de Bernières

3642969Autor: Louis de Bernières
Ilustrações: Alan Baker
Título Original:
Red Dog (1999)
Editora: Edições ASA
Páginas: 128
ISBN: 9789724138022
Tradutor: Isabel Alves
Origem: Comprado

Sinopse: Depois de Milu e Rantanplan, há que integrar o protagonista desta história no panteão canino. Na senda de La Fontaine, Louis de Bernières escreveu uma fábula enternecedora com um protagonista inesquecível: um cão sem morada ou destino fixos, apaixonado pela liberdade e pelos espaços amplos, um nómada louco por aventuras que não gosta de vínculos ou constrangimentos. De facto, O Cão Vermelho está longe de ser um cachorrinho mimado; ele é fedorento, impulsivo, independente… e tem a característica muito especial de tocar as vidas de todos os que encontra no seu caminho.

Opinião: Sabia muito pouco sobre este livro antes de o ter iniciado, e foi já durante a leitura que descobri que se baseia em factos reais. Pelos vistos, na década de 1970, viveu um cão muito singular na Austrália Ocidental. Cão Vermelho, assim era chamado, era um cão de raça Kelpie australiana que ficou famoso pelo seu gosto pelas viagens e pela empatia que criava com as pessoas com quem se ia cruzando. O Cão Vermelho apanhava boleia de conhecidos e, assim, ia explorando as várias localidades a seu bel-prazer. Ficou também conhecido pelo seu apetite voraz e pelo mau cheiro que partilhava com os seus companheiros de viagem.

Este pequeno livrinho é composto por vários capítulos onde o autor nos vai dando conta das várias aventuras conhecidas do Cão Vermelho, complementadas com ilustrações que, na minha opinião, dão ao livro um toque juvenil de forma muito apropriada. É quase impossível não simpatizar com o Cão Vermelho, com a sua perspicácia e com o espírito livre que encarnava, simbolizando certamente algumas das principais características dos australianos.

A grande maioria das situações relatadas dão verdadeiramente a ideia da sigularidade deste animal e da forma como conseguiu unir uma comunidade. É um livro fofinho, com algumas lições pelo meio, mas sem ser nada de absolutamente extraordinário. Parece-me uma boa história para partilhar em família.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.