Home / 2/5 / [Opinião] Regresso de Sherlock Holmes #3, de Arthur Conan Doyle

[Opinião] Regresso de Sherlock Holmes #3, de Arthur Conan Doyle

6744290Autor: Arthur Conan Doyle
Título Original:
The Adventure of the Empty House (1903), The Adventure of the Norwood Builder (1903), The Adventure of the Dancing Men (1903)
Editora: Global Notícias
Páginas: 95
ISBN: 9789895545698
Tradutor: n.d.
Origem: Comprado

Sinopse: O Regresso de Sherlock Holmes inclui originalmente treze contos de histórias do detective Sherlock Holmes, publicados em 1905. Os contos foram divulgados pela primeira vez na revista Strand Magazine, nos anos de 1903 e 1904. Neste segundo livro de histórias estão reunidos A Casa Vazia, O Construtor de Norwood e Os Dançarinos.

Opinião: Este é o terceiro e último volume que inclui contos do Regresso de Sherlock Holmes nesta coleção, e era também o último livro desta coleção que tinha por ler. Abaixo fica um pequeno resumo dos contos incluídos neste livro e, se seguirem o link, podem aceder a uma versão online, em inglês, de cada um.

Charles August Milverton – A personagem que dá nome a este conto é o maior canalha de Londres, de acordo com Sherlock Holmes, porque se dedica a intercetar missivas privadas e a usá-las para chantagear os seus intervenientes. No início desta história, o dito visita Holmes porque as cartas de uma jovem prestes a casar com um conde chegaram às suas mãos e Holmes irá tentar negociar com o homem. Só que este mostra-se implacável e a dupla Holmes/Watson terá de recorrer a outros expedientes para resolver o caso. Um bom conto, mas que não achei memorável.

O Atleta Desaparecido – Godfrey Staunton é o melhor jogador de râguebi do país e, na véspera de um jogo importantíssimo, desaparece sem deixar rasto. O treinador da equipa de Cambridge, onde Godfrey joga, procura Sherlock Holmes antes do jogo, pedindo a sua ajuda para encontrar o jogador desaparecido. O facto de ser o melhor jogador da equipa e de ser, ao mesmo tempo, herdeiro de uma enorme fortuna fazem Sherlock desconfiar que tudo está relacionado, mas a verdade acaba por ser revelar inesperada. Apesar da surpresa no desenlace final, achei-o desinteressante e anti-climático, pelo que este não foi dos meus contos preferidos.

A Granja da Abadia – Sherlock Holmes é chamado por um antigo conhecido seu para investigar um aparente assalto que resultou na morte do marido e no ferimento da mulher. Quando Sherlock chega ao local, ouve os participantes no caso e investiga a cena do crime descobre, como é costume, que os indícios apontam numa explicação bem mais complicada do que a mais óbvia. Um conto ao nível dos dois anteriores, que não me cativou muito pelo facto de ter adivinhado os contornos do crime antes de terem sido revelados pelo detetive. Contudo, gostei do final.

E, com este livro, termino de ler a coleção Sherlock Holmes que saiu com o DN/JN no verão de 2009. Essa coleção tinha 12 volumes, nos quais se incluiu, ao todo, 32 dos 56 contos que são considerados no cânone do detetive:

  • 10 dos 12 contos de As Aventuras de Sherlock Holmes
  • 10 dos 12 contos de As Memórias de Sherlock Holmes
  • 9 dos 13 contos de O Regresso de Sherlock Holmes
  • 3 dos 7 contos de O Último Adeus de Sherlock Holmes
  • 0 dos 12 contos de The Case-Book of Sherlock Holmes

Para além dos contos, distribuídos em 10 dos 12 volumes desta coleção, temos ainda 2 dos 4 romances que Arthur Conan Doyle escreveu com o famoso detetive, Um Estudo em Vermelho e O Signo dos Quatro. Por isso, é fácil perceber que quem ler esta coleção irá apenas ler pouco mais de metade do que foi escrito sobre Sherlock Holmes. No entanto, para quem, como eu, nunca tinha lido nada sobre o detetive, foi um bom começo. Gostei, de um modo geral, das histórias que li; uma vez ultrapassada a estranheza em relação à personagem e aos seus modos e meios de dedução, acabamos por sentir alguma afinidade com Sherlock e de achar piada à sua relação com Watson. Apesar de um ou outro problema com estas edições e de não conterem todas as histórias do detetive, pelo preço que me custaram, chego à conclusão que compensou.

Classificação: 2/5 – OK


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.