Home / 4/5 / [Opinião] Regresso de Sherlock Holmes #2, de Arthur Conan Doyle

[Opinião] Regresso de Sherlock Holmes #2, de Arthur Conan Doyle

6699667Autor: Arthur Conan Doyle
Título Original:
The Adventure of the Empty House (1903), The Adventure of the Norwood Builder (1903), The Adventure of the Dancing Men (1903)
Editora: Global Notícias
Páginas: 95
ISBN: 9789895545698
Tradutor: n.d.
Origem: Comprado

Sinopse: O Regresso de Sherlock Holmes inclui originalmente treze contos de histórias do detective Sherlock Holmes, publicados em 1905. Os contos foram divulgados pela primeira vez na revista Strand Magazine, nos anos de 1903 e 1904. Neste segundo livro de histórias estão reunidos A Casa Vazia, O Construtor de Norwood e Os Dançarinos.

Opinião: Este segundo volume dedicado ao Regresso de Sherlock Holmes inclui mais 3 contos de um total de 13 publicados. Abaixo fica um pequeno resumo dos contos incluídos neste livro e, se seguirem o link, podem aceder a uma versão online, em inglês, de cada um.

A Casa Vazia – Este conto foi o escolhido por Arthur Conan Doyle para fazer regressar o seu famoso detetive do mundo dos mortos, onde o tinha colocado após a publicação do conto “O Problema Final”. Após alguma pressão por parte dos leitores, Conan Doyle decidiu ressuscitá-lo nesta história que começa com o misterioso assassinato do segundo filho de um conde, um jovem aparentemente sem vícios, com exceção das cartas. Quando aparece morto nos seus aposentos, sem vestígios de alguém ter entrado ou saído dos mesmos, Watson tenta analisar os factos mas sem chegar a grandes conclusões. E é aqui que Holmes faz a sua reaparição, para surpresa do velho amigo, que o julgou morto nos últimos três anos. A história de como Holmes sobreviveu e os motivos que o levaram a manter-se no anonimato acabam por revelar-se relacionadas com o homicídio em análise, e é muito interessante a forma que o autor escolheu para apresentar de novo Holmes aos seus leitores. Gostei bastante deste conto.

O Construtor de Norwood – Um construtor reformado desaparece misteriosamente e tudo aponta para que o culpado seja um advogado que o desaparecido incluiu no seu testamento. De facto, tudo aponta para que ele tenha sido queimado, mas como seria de esperar Sherlock Holmes acaba por descobrir que as aparências iludem. Foi um conto interessante, mas que não me cativou em pleno.

Os Dançarinos – Um jovem recém-casado procura Sherlock Holmes para tentar desvendar o aparecimento em sua casa de conjuntos de bonecos dançarinos, pintados em vários sítios ou em papel. Esse jovem, Hilton Cubitt, suspeita que a mulher saiba alguma coisa acerca destes símbolos, mas recusa-se a pressioná-la devido a uma promessa que lhe fez quando casaram, ocasião em que ela lhe pediu para não fazer perguntas sobre o seu passado. Os dançarinos teimam em aparecer e o seu significado acaba por ser muito mais perigoso do que poderia parecer à primeira vista. Sherlock Holmes, com a sua sagacidade, percebe rapidamente o que significam, mas ainda assim isto não é suficiente para evitar a tragédia. Gostei muito deste conto, não só por estar escrito de uma forma que cativa o leitor e que aguça a sua curiosidade, mas principalmente por mostrar que, apesar de tudo, Sherlock Holmes não é perfeito.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.