Home / 3/5 / [Opinião] O Signo dos Quatro, de Arthur Conan Doyle

[Opinião] O Signo dos Quatro, de Arthur Conan Doyle

6726816Autor: Arthur Conan Doyle
Título Original:
The Sign of Four (1890)
Editora: Global Notícias
Páginas: 119
ISBN: 9789895545667
Tradutor: n.d.
Origem: Comprado

Sinopse: O Signo dos Quatro é um romance escrito por Sir Arthur Conan Doyle, publicado originalmente pela Lippincott’s Magazine em Fevereiro de 1890, sendo a primeira edição em formato de livro publicada em Outubro do mesmo ano. É a segunda história da saga do célebre detective Sherlock Holmes. Mary Morstan pede auxílio a Holmes para descobrir o que aconteceu ao seu pai, que morrera dez anos antes. Quatro anos após a morte do pai, ela começou a receber anualmente uma pérola de grande valor. Até que um dia recebeu um bilhete a marcar um encontro.

Opinião: Continuo a seguir as aventuras de um dos mais famosos detetives da literatura, desta vez com uma das quatro histórias mais longas que contam com a presença de Sherlock Holmes (fica apenas a faltar-me The Valley of Fear). Esta minha leitura foi feita em audiobook, e ainda bem, depois de ter detetado um problema com a versão portuguesa que tenho.

Em O Signo dos Quatro, Holmes e Watson são procurados por Mary Morstan, que tem na sua posse um bilhete a convidá-la para um encontro que promete esclarecer o desaparecimento misterioso do seu pai há 10 anos. O bilhete é acompanhado ainda por uma pérola, que se junta a outras tantas que Mary tinha vindo a receber ao longo de 6 anos. Mary deseja assim que Holmes e Watson a acompanhem a esse encontro e a ajudem a desvendar estes misteriosos acontecimentos.

Trata-se de um enredo policial algo complexo, pelos constantes acontecimentos e ramificações da história, envolvendo um tesouro roubado proveniente da Índia, traições, dissimulações e mortes. Confesso que não achei o enredo suficientemente cativante, mas isso foi, de certo modo, compensado pela brilhante presença de Sherlock Holmes em tudo isto, que coloca mais uma vez as suas capacidades únicas de dedução ao serviço da resolução deste mistério. É ainda um livro com espaço para o desenvolvimento das personagens e em que Watson encontra a sua cara-metade.

Por isso, foi um livro que, não me tendo cativado de forma absoluta, se tornou numa leitura agradável e recomendada aos fãs do detetive.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.