Home / 4/5 / [Opinião] Beauty, de Robin McKinley

[Opinião] Beauty, de Robin McKinley

8084Autor: Robin McKinley
Ano de Publicação: 1978
Páginas: 325
Editora: Eos
ISBN: 9780060753108
Origem: Comprado

Sinopse: A young woman, well educated and honourable, accepts responsibility for her father’s act and leaves her family to enter the enchanted world of castle and Beast. The Beast she finds is not the one she imagined, but can she stay with him?

Opinião: Não me lembro se alguma vez cheguei a ver o filme de animação da Disney “A Bela e o Monstro“, mas já sabia, em linhas gerais, os contornos da história. O que eu não sabia é que o filme é baseado num conto de fadas tradicional francês, cuja versão mais reconhecida é a que data de 1756, da autoria de Jeanne-Marie Le Prince de Beaumont. Esta nova versão da história, escrita pela americana Robin McKinley, foi publicada em 1978, e foi o primeiro livro da autora que não se dirigia a crianças. A título de curiosidade, Robin McKinley publicou outra versão desta história em 1997, entitulada Rose Daughter.

Mas voltando a este livro: Beauty é a mais nova de três irmãs, que vivem com o pai viúvo, um comerciante que depende dos seus navios para vender mercadorias. Levam uma vida abastada e Beauty, apesar da sua alcunha, é o patinho feio entre as irmãs, aquela que gosta de ficar sozinha com os seus pensamentos e de ler um bom livro. Mas de repente, o pai das raparigas vê-se em dificuldades financeiras e a família é obrigada a viajar para norte, onde o noivo da irmã do meio arranjou um emprego como ferreiro e uma casa onde poderão todos habitar. Perto dessa casa existe uma floresta misteriosa, e quando o pai lá se perde no meio de uma tempestade, encontra um castelo onde é muito bem recebido, apesar de nunca ter oportunidade de conhecer o anfitrião. Ao sair da propriedade no dia seguinte, decide apanhar uma rosa para levar a Beauty e é então que aparece Beast, o dono do castelo, e como castigo pelo “roubo” o obriga a prometer-lhe que dentro de um mês terá de vir para a sua morte ou, em alternativa, trazer uma das suas filhas para morar com ele. Beauty oferece-se para ser a sacrificada e aí começa uma história de amizade e amor, com o tema intemporal da beleza interior e da capacidade de ver para além das aparências.

Há já muito tempo que tinha vontade de ler algo desta autora, que tantas vezes já vi muito bem referida, mas só agora, por causa do desafio Monthly Motif, surgiu essa oportunidade. Tenho de dizer que fiquei muito bem impressionada. Mergulhei, como era suposto, num autêntico conto de fadas, que me fez acreditar que esta história estava a acontecer. Gostei muito da voz da autora, num livro contado na primeira pessoa, em que se nota o cuidado de adequar a linguagem da protagonista à época em que a história decorre (apesar de nunca ser referido, o contexto é medieval). É também uma história em tom jovem adulto, que como já disse outras vezes não é da minha preferência, mas neste caso não me fez diferença. Aliás, só tenho mesmo uma coisa a apontar, que é o final apressado. Nas últimas 4-5 páginas acontecem coisas importantes na história, que na minha opinião teriam merecido um maior desenvolvimento.

Mas, de um modo geral, foi uma leitura que valeu muito a pena. Não pensei que um retelling de um conto de fadas fizesse muito o meu género, mas este livro acabou por me surpreender pela positiva. Fica a vontade de explorar melhor esta autora que, pela pesquisa que fiz, continua por publicar em Portugal.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.