Home / 2/5 / [Opinião Bilingue] Bellman & Black, de Diane Setterfield

[Opinião Bilingue] Bellman & Black, de Diane Setterfield

17571276Autor: Diane Setterfield
Ano de Publicação: 2013
Editora: Atria/Emily Bestler Books
Páginas: 224
ISBN: 9781476712000
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: As a boy, William Bellman commits one small, cruel act: killing a bird with his slingshot. Little does he know the unforeseen and terrible consequences of the deed, which is soon forgotten amidst the riot of boyhood games. By the time he is grown, with a wife and children of his own, William seems to be a man blessed by fortune—until tragedy strikes and the stranger in black comes. Then he starts to wonder if all his happiness is about to be eclipsed. Desperate to save the one precious thing he has left, William enters into a rather strange bargain, with an even stranger partner, to found a decidedly macabre business.

And Bellman & Black is born.

I received this digital ARC via NetGalley, in exchange for an honest review. The book will be available November 5th, 2013.
A cópia digital deste livro foi-me fornecida via NetGalley, em troca de uma opinião honesta. O livro tem data de lançamento marcada para 5 de Novembro de 2013.

Review: After finishing and loving “The Thirteenth Tale“, I was eager for more Diane Setterfield. So I was very excited to know there was a new book from her being released this year, and grabbed the opportunity to read it before its publishing date.

The setting is a victorian England and the main character is William Bellman. As a child, while playing with his friends, William kills a rook with a memorable slingshot throw, but what he didn’t know was that this apparently innocent event would change his future. Years later, William shows himself very capable in the family business, a mill where cloths are made. Everything in his life seems perfect: he has success in his professional life, everyone likes him, he has a happy family. Until things start to go awry and William sees himself in the middle of an agreement with a misterious man, Black, who shows himself at funerals.

To be really honest, this book bored me. The reading even started well: I got interested in William’s progress at the mill and was curious to meet the misterious Black. When he shows up, the plot has a twist and from there it was downhill for me. In the end, I didn’t really care if the story went this way or that. The thing is, I felt the story fell short of itself. I think the events, the passing of time, the characters depicting, all are touched only lightly and in a rushed way, and the story would have benefited from more overall development. On the other side, everything concerned to Belmann’s Mill or the new business William starts are way too much described and do nothing for the progress of the plot. What I missed most was the emotional connection with the characters: William never got to my heart, and never felt like a remarkable character. We always saw what was happening, not what was motivating him. And so, I too didn’t feel motivated to find out what the future was holding for him.

It’s a pity, because I like Diane Setterfield’s writing. I would even say it’s the biggest achievement in this book, although sometimes it seemed a little synthetic in important events or was lacking that brilliance that captivated me so in The Thirteenth Tale. So, unfortunately, the balance is a disappointment. 

Rating: 2/5 – OK

Opinião: Depois de ter lido e adorado O Décimo Terceiro Conto, fiquei com vontade de ler mais coisas da Diane Setterfield. Fiquei bastante entusiasmada quando soube que ela ia lançar um novo livro este ano, e aproveitei estar disponível no NetGalley para o ler antes da data de lançamento.

O cenário é a Inglaterra vitoriana e o protagonista é William Bellman. Em criança, no meio das brincadeiras com amigos, William mata uma gralha-calva (rook no original, espero não estar a traduzir mal, já que não percebo nada de pássaros) num lançamento de fisga memorável, mas o que ele não sabia era de que forma este acontecimento aparentemente inocente ia marcar o seu futuro. Anos mais tarde, William demonstra grande capacidade para fazer parte do negócio da família, uma fábrica onde se produzem tecidos. Tudo na sua vida parece perfeito: tem sucesso profissional, toda a gente gosta dele, tem uma família feliz. Até que as coisas começam a correr mal e William se vê obrigado a fazer um acordo com um misterioso homem, Black, que aparece a William em funerais.

Para ser muito franca, este livro aborreceu-me. A leitura até começou bem: interessei-me pelo progresso de William na fábrica e estava curiosa por conhecer o misterioso Black. Quando este começa a dar o ar de sua graça, a história conhece uma reviravolta e a partir daí o meu interesse foi decaindo até chegar ao final que, sinceramente, já não me importava que fosse de uma ou outra forma. A história soube-me a pouco. Achei que os acontecimentos, a passagem do tempo e a caracterização das personagens foram todos tocadas ao de leve e de forma apressada, e julgo que o livro teria beneficiado de um maior desenvolvimento a nível geral. Por outro lado, tudo o que diz respeito à fábrica Bellman ou ao novo negócio que William começa é descrito à exaustão e pouco contribui para ao avançar do enredo. Do que senti mais falta foi mesmo da ligação emocional com as personagens: William nunca me cativou e nunca me pareceu uma personagem memorável. Assisti ao que lhe ia acontecendo como uma mera observadora, nunca sabendo exatamente o que lhe ia na alma ou o que o motivava. E assim, também eu fiquei sem muita motivação para descobrir o que o destino lhe reservava.

É pena, até porque gosto da forma como a Diane Setterfield escreve. Diria que é mesmo o grande ponto positivo deste livro, apesar de algumas vezes me ter parecido demasiado sintética em eventos importantes ou a faltar-lhe aquela chama que tanto me cativou n’”O Décimo Terceiro Conto”. Portanto, infelizmente o saldo é uma desilusão.

Classificação: 2/5 – OK


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.