Home / 5/5 / [Opinião] Sophia’s Secret, de Susanna Kearsley

[Opinião] Sophia’s Secret, de Susanna Kearsley

4835473Autor: Susanna Kearsley
Ano de Publicação: 2008
Série: Slains #1
Editora: Allison & Busby
Páginas: 527
ISBN: 9780749080785
Origem: Comprado

Sinopse: When bestselling author Carrie McClelland visits the windswept ruins of Slains Castle, she is enchanted by the stark and beautiful Scottish landscape. The area is strangely familiar to her but she puts aside her faint sense of unease to begin her new novel, using the castle as her setting, and one of her own ancestors, Sophia, as her heroine. Then Carrie realises her writing is taking on a life of its own and the lines between fact and fiction become increasingly blurred. As Sophia’s memories draw Carrie more deeply into the intrigue of 1708, she discovers a captivating love story lost in time. After three hundred years, Sophia’s Secret must be told.

Opinião: No início deste livro, a protagonista Carrie McClelland, afirma que é uma pessoa pouca dada a acreditar no destino ou em superstições, e que rege a sua vida pelas palavras do poeta William Henly: “I am the master of my fate; I am the captain of my soul.” Também sou assim no meu dia-a-dia, mas este livro levou-me a acreditar, durante os 3 dias que demorei a lê-lo, na força do destino e na inexistência de coincidências, de tal forma fiquei absorvida por esta história e estas personagens.

Carrie McClelland é uma escritora de sucesso, e o seu próximo romance histórico tem como pano de fundo a tentativa de revolução jacobita de 1708, quando o pretendente ao trono escocês, James Stuart, veio de França, com o apoio do rei francês, tentar recuperar o trono e acabar com a soberania inglesa. A personagem central do romance seria Nathaniel Hooke, um dos principais intervenientes neste evento, mas quando Carrie vai à Escócia para o aniversário da sua agente literária e passa perto do castelo de New Slains, uma sensação inquietante toma conta dela e percebe que é ali que tem de escrever a sua história e que as vozes que ouve dentro dela querem contar uma história que ela não tem força para contrariar.

Carrie aluga uma casa rústica numa localidade perto do castelo, onde procura inspiração para escrever. Assim, de cada vez que Carrie sente o impulso incontrolável da escrita, nós, leitores, vamos ficando a par da evolução do romance histórico, onde conhecemos a jovem Sophia, enviada para Slains há 300 anos por não ter mais família chegada para além da condessa que ali vivia. Slains foi um dos centros onde a conspiração para o regresso do rei James mais floresceu, e a presença de Sophia, que se transforma nos olhos do leitor, permite acompanhar a evolução dos acontecimentos. Mas o enredo de Slains não é só político: Sophia descobre também o amor no capitão John Moray, amor esse que parece condenado pelas responsabilidades de John na sublevação e o facto de ser um homem procurado.

E assim, sempre que Carrie se senta ao computador para continuar a sua história, também nós a vamos acompanhando, com regressos frequentes ao presente, onde Carrie começa a descobrir estranhas coincidências entre a ficção e a vida real e se sente abismada quando percebe que a sua história contém dados verídicos que não teria forma de ter descoberto em documentos históricos. 

Acho que a melhor forma de explicar o quanto gostei deste livro é dizer que são livros destes que me recordam o quanto gosto de ler. Leio muito porque procuro constantemente a sensação que este livro me trouxe. Tudo me pareceu perfeito: a escrita evocativa de emoções, as personagens bem caracterizadas, o entrelaçar da ficção e da “realidade”, o jogo com as expectativas do leitor. Não esquecendo as descrições das paisagens escocesas, do clima e do modo de vida daquelas pessoas, que me deram quase de imediato vontade de ir a correr para lá. E toda a leitura me deixou a vida em suspenso durante 3 dias, em que aproveitei todos os bocadinhos disponíveis para ler e, sempre que a vida real se metia de permeio, a história e o destino daquelas personagens não me largaram.

Resta-me agradecer à Cat a sugestão, que me fez finalmente pegar num livro que tinha comprado há mais de 4 anos. Valeu muito, mas mesmo muito a pena.

Classificação: 5/5 – Adorei


Sobre Célia

  • E eu vou a seguir! 😀 Também tenho cá o livro, em ebook, e sinceramente chamou-me a atenção mais por causa da capa e, depois, a sinopse. A questão dos títulos é que me confunde, porque o meu é o “The Winter Sea”. Mas pormenores à parte, estou muuuito curiosa para começar este livro 🙂

    • Célia

      “Sophia’s Secret” é o título do livro no UK, “The Winter Sea” é o título para os States. Gosto mais deste último, apesar de achar que ambos de adequam à história 😉

  • Yay, fico tão contente que tenhas adorado. Adorei especialmente a parte histórica do livro. Vais ler mais algum dela, agora que a tua segunda experiência foi tão boa? 😀

    • Célia

      Este foi o primeiro livro que li da autora 🙂
      Agora quero ler TUDO! Talvez de seguida opte pelo “Firebird”, que tem uma personagem em comum com este.

  • Vanda

    Estou a ler no momento esse livro e deliciada com a leitura. Já há muito tempo um livro não me fazia ansiar pelo momento antes de dormir para avançar mais um pouco na história!

    • Célia

      Compreendo na perfeição esse sentimento 🙂

  • Pingback: [Opinião] A Herança, de Katherine Webb - Estante de Livros Estante de Livros()

  • Susana Nascimento

    Recomendo vivamente o rose garden! É fantástico. A Susanna Kearsley é uma óptima escritora

    • CeliaCM

      Obrigada pela sugestão, tenho de ler!

  • Pingback: [Opinião] Mariana, de Susanna Kearsley - Estante de Livros()