Home / 4/5 / [Opinião] Gone Girl, de Gillian Flynn

[Opinião] Gone Girl, de Gillian Flynn

13261812Autor: Gillian Flynn
Páginas: 445
Ano de Publicação: 2012

Sinopse: Marriage can be a real killer.

On a warm summer morning in North Carthage, Missouri, it is Nick and Amy Dunne’s fifth wedding anniversary. Presents are being wrapped and reservations are being made when Nick’s clever and beautiful wife disappears from their rented McMansion on the Mississippi River. Husband-of-the-Year Nick isn’t doing himself any favors with cringe-worthy daydreams about the slope and shape of his wife’s head, but passages from Amy’s diary reveal the alpha-girl perfectionist could have put anyone dangerously on edge. Under mounting pressure from the police and the media—as well as Amy’s fiercely doting parents—the town golden boy parades an endless series of lies, deceits, and inappropriate behavior. Nick is oddly evasive, and he’s definitely bitter—but is he really a killer?

As the cops close in, every couple in town is soon wondering how well they know the one that they love. With his twin sister, Margo, at his side, Nick stands by his innocence. Trouble is, if Nick didn’t do it, where is that beautiful wife? And what was in that silvery gift box hidden in the back of her bedroom closet?

With her razor-sharp writing and trademark psychological insight, Gillian Flynn delivers a fast-paced, devilishly dark, and ingeniously plotted thriller that confirms her status as one of the hottest writers around.

Opinião: Tomei conhecimento da existência deste livro através de várias opiniões positivas que li em alguns dos blogues internacionais que sigo e fiquei ainda com mais vontade de o ler quando reparei que foi o vencedor do “Melhor Policial/Thriller” nas votação do Goodreads para os livros de 2012. Não é o género literário que mais leio ou aprecio, mas gostei da premissa e achei que seria bom variar um pouco as leituras.

Este é daquele tipo de livros que queremos ler sem saber praticamente nada do que se vai passar, para que possamos apreciar a leitura na sua plenitude. Por isso, direi apenas que o ponto de partida é o desaparecimento de Amy Dunne no dia em que ela e o marido, Nick, completam 5 anos de casamento. O livro apresenta capítulos alternados contados na primeira pessoa por ambos: os dela são entradas de um diário anterior ao desaparecimento, desde que conheceu Nick; os dele começam no dia em que Amy desaparece e vão seguindo os acontecimentos posteriores. 

Apesar de considerar que este livro é, na sua essência, um thriller, acho que ultrapassa essa fronteira e torna-se um verdadeiro retrato psicológico das suas personagens principais, bem como daquilo que pode correr bem ou mal num casamento e, em última análise, numa relação. É também uma história bastante atual no que respeita ao seu contexto, tocando em temas como o desemprego ou a manipulação que os meios de comunicação muitas vezes fazem de casos que se tornam públicos.

Foi um livro que me cativou, por estar bem escrito, por ter personagens interessantes e bem desenvolvidas e por causa de todas as voltas e reviravoltas que a história contém e que me deixaram sempre com curiosidade de ver o que se ia passar a seguir. A autora já se encontra publicada em Portugal, com o livro Objectos Cortantes. Espero que este Gone Girl seja publicado em breve por cá.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.