Home / 3/5 / [Opinião] Em Casa – Breve História da Vida Privada, de Bill Bryson

[Opinião] Em Casa – Breve História da Vida Privada, de Bill Bryson

Autor: Bill Bryson
Título Original: At Home – A Short History of Private Life (2010)
Editora: Bertrand
Páginas: 528
ISBN: 9789722523547
Tradutor: Luís Santos
Origem: Comprado

 Sinopse: Em que consiste de facto a história? Séculos de pessoas no seu quotidiano: a dormir, a comer, a fazer sexo, a tentar ganhar conforto. E onde acontece tudo isso? Em casa. Foi este pensamento que inspirou Bill Bryson a fazer uma viagem pela própria casa, uma velha reitoria em Norfolk, a andar de divisão em divisão a pensar em como tinham início os acontecimentos banais da vida. E o que descobriu foram espantosas ligações entre tudo, desde o Palácio de Cristal à Torre Eiffel, do escorbuto à profanação de cadáveres, de percevejos à Revolução Industrial, da crinolina às retretes, e praticamente tudo o resto que alguma vez aconteceu, fazendo com que este livro esteja para a história como a Breve História de Quase Tudo está para a ciência. Se este nos dava um panorama abrangente do mundo, do universo e de tudo o resto, Em Casa espreita a vida privada através do microscópio. Bryson emprega a mesma curiosidade irreprimível, o mesmo espírito irresistível, a mesma prosa estilizada e o mesmo poder narrativo, o que torna este livro um dos mais lúdicos e esclarecedores acerca da maneira como vivemos.

Opinião: Entusiasmada com a leitura de Breve História de Quase Tudo, tive vontade de ler outro livro deste autor e optei por Em Casa – Breve História da Vida Privada, um livro que prometia ser igualmente cativante e cheio de informação interessante.

Partindo de uma antiga casa paroquial onde reside em Norfolk, na Inglaterra, Bill Bryson percorre uma divisão por capítulo e vai discorrendo sobre uma miríade de assuntos relacionados com a divisão em causa, não só a nível arquitetónico mas também no que respeita aos diversos objetos que são tradição nessas divisões. O autor fala sobre a sua origem e sobre a sua utilização ao longo do tempo – em especial na época mais profícua no que respeita a inventos – , no tom descontraído que parece ser a sua imagem de marca.

A quantidade de factos e curiosidades é enorme: qualquer coisa serve de pretexto ao autor para investigar e apresentar dados sobre determinado tema. E isto, apesar de ser extremamente informativo, pode tornar-se um pouco cansativo também, em especial quando o texto parece não ter propriamente uma lógica para além da ordenação dos capítulos por divisões da casa. Por vezes, tive a nítida sensação de info-dump. Para além disso, tudo é basicamente centrado no universo anglo-americano. É certamente aquele que o autor melhor conhece, mas teria sido interessante focar, ainda que de forma não muito detalhada, o que ia acontecendo no resto do mundo nos temas que vão sendo discutidos.

Foi um livro interessante, que me permitiu aprender bastante e que não exigiu de mim muita concentração, que era o que precisava quando o li. 

Classificação: 3/5 – Gostei

 


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.