Home / 3/5 / [Opinião] Kushiel’s Scion, de Jacqueline Carey

[Opinião] Kushiel’s Scion, de Jacqueline Carey

Autor: Jacqueline Carey
Ano de Publicação: 2006
Série: Kushiel #4 | Imriel’s Trilogy #1
Editora: Grand Central Publishing
Páginas: 944
ISBN: 9780446610025
Origem: Comprado

Nota prévia: Sinopse, informações sobre o livro e a minha opinião podem conter alguns spoilers para quem ainda não leu a primeira trilogia toda (ou os 6 volumes a que a mesma corresponde em Portugal).

Sinopse: Imriel de la Courcel’s blood parents are history’s most reviled traitors, but his adoptive parents, the Comtesse Phèdre and the warrior-priest Joscelin, are Terre d’Ange’s greatest champions. Stolen, tortured, and enslaved as a young boy, Imriel is now a Prince of the Blood, third in line for the throne in a land that revels in art, beauty, and desire. It is a court steeped in deeply laid conspiracies … and there are many who would see the young prince dead. Some despise him out of hatred for his birth mother Melisande, who nearly destroyed the realm in her quest for power. Others because they fear he has inherited his mother’s irresistible allure – and her dangerous gifts. And as he comes of age, plagued by dark yearnings, Imriel shares their fears. At the royal court, where gossip is the chosen poison and assailants wield slander instead of swords, the young prince fights character assassins while struggling with his own innermost conflicts. But when Imriel departs to study at the famed University of Tiberium, the perils he faces turn infinitely more deadly. Searching for wisdom, he finds instead a web of manipulation, where innocent words hide sinister meanings, and your lover of last night may become your hired killer before dawn. Now a simple act of friendship will leave Imriel trapped in a besieged city where the infamous Melisande is worshiped as a goddess; where a dead man leads an army; and where the prince must face his greatest test: to find his true self.

Opinião: Depois do sucesso da primeira trilogia, Jacqueline Carey regressa ao seu mundo renascentista inventado, uma espécie de história alternativa cujas personagens principais são oriundas de Terre d’Ange (França), e em que os deuses representaram papéis importantes na história da humanidade e no destino das pessoas. É um mundo rico, com uma mitologia bem alicerçada, e que serve como pano de fundo perfeito às aventuras que o leitor vai acompanhando. Kushiel’s Scion é o primeiro volume de uma nova trilogia que decorre no mundo Kushiel. Ao invés de ser narrado por Phèdre, como nos volumes anteriores, é narrado por Imriel de la Courcel, filho da maior adversária de Phèdre, Melisande Sharizai.

A personagem central deste livro é Imriel, filho adotivo de Phèdre e Joscelin e filho biológico da culpada por muitas das desventuras do casal. A ação tem início poucos anos após o final de Kushiel’s Avatar (o 3.º livro da primeira trilogia) e vai encontrar as personagens já nossas conhecidas num ambiente calmo e familiar, num retiro campestre. Uma carta de Melisande despoleta medos antigos e faz com que Imriel comece a pensar cada vez mais insistentemente na sua ligação ao deus Kushiel. A primeira fase do livro acompanha, assim, o crescimento de Imriel, a sua passagem pela adolescência e os seus dilemas entre aquilo que desejava ser e aquilo que realmente é. Ao mesmo tempo, vamos acompanhando as intrigas políticas da corte liderada pela Rainha Ysandre, aqui com menos protagonismo do que vimos noutros livros da autora. A entrada na idade adulta leva Imriel a rumar a Tiberium (Roma), onde pretende estudar e formar-se como homem. Aqui encontra novos amigos, conhece-se melhor a si próprio e ainda tem oportunidade para desvendar alguns segredos bem enterrados no passado. 

Como narrador, confesso que achei Imriel menos interessante que Phèdre. São duas personagens diferentes, e apesar de Imriel ter também várias tonalidades na sua personalidade, para já não me cativa tanto. A escrita continua ao mesmo nível, assim como a adição de personagens secundárias com as quais o leitor se importa e identifica. Em termos de enredo, considero que fica uns furos abaixo dos livros anteriores. O último terço do livro, cheio de ação e vários acontecimentos, aborreceu-me porque fiquei com a sensação que se passaram páginas e páginas de coisas pouco relevantes para a história central. Contudo, a forma como o livro termina abre o apetite para o que se seguirá – felizmente já tenho os dois volumes seguintes na minha estante.

Foi bom regressar ao mundo Kushiel, mas este livro não me cativou tanto como os anteriores. É, na sua essência, um livro sobre o crescimento, com alguma intriga política, viagens, aventuras e sensualidade. Achei o narrador um pouco menos interessante e a história em si teve momentos mais aborrecidos. Apesar disso, a escrita continua de grande qualidade.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.