Home / 4/5 / [Opinião] Autobiografia, de Agatha Christie

[Opinião] Autobiografia, de Agatha Christie

Autor: Agatha Christie
Título Original: An Autobiography (1977)
Editora: ASA
Páginas: 704
ISBN: 9789892316413
Tradutor: Elsa T. S. Vieira
Origem: Comprado

Sinopse: Agatha Christie ficará para sempre conhecida como a Rainha do Crime. Publicada em todo o mundo, os seus livros estão traduzidos para mais de cem línguas e venderam já mais de dois mil milhões de exemplares. Um sucesso à escala planetária, ao qual a autora contrapôs uma vida pessoal envolta em mistério. Mas, embora se tivesse mantido afastada das luzes da ribalta, escreveu secretamente uma autobiografia. Publicada apenas após a sua morte, revelou-se tão fascinante que foi imediatamente considerada a sua melhor obra! Com rara paixão e audácia, Agatha Christie fala-nos sobre a sua infância no final do século XIX, as duas guerras mundiais que testemunhou, os dois casamentos e as experiências como escritora e entusiasta de viagens e expedições arqueológicas, em que participava ativamente com o segundo marido. Uma obra que revela a face humana e surpreendentemente extravagante por detrás da mais lendária escritora do século XX.

Opinião: Antes de mais, acho que me posso considerar fã de Agatha Christie, apesar de ainda me faltarem muitos livros para poder dizer que li a maioria da sua obra.  Agatha é a escritora mais vendida e traduzida de sempre e acho fantástico termos oportunidade de conhecer a vida dela através das suas próprias palavras. Isto tem prós e contras: se, por um lado, só ela poderia explicar ao leitor a importância que determinados acontecimentos tiveram na sua vida e nos dá uma visão muito particular sobre os mesmos, por outro a autora deixa de lado alguns acontecimentos mais polémicos – como o seu célebre desaparecimento de 11 dias, após se divorciar do primeiro marido. Estamos, portanto, perante a interpretação da autora sobre a sua própria vida, que, sendo inevitavelmente subjetiva, não deixa por isso de ser extremamente interessante e nunca auto-congratulatória.

Na verdade, e focando-me apenas na questão profissional, a sensação que tenho depois de ler este livro é que a própria Agatha tinha uma noção exata das suas capacidades e podia mesmo subvalorizar-se em vários momentos. Foi uma pessoa que tentou vários caminhos, desde a dança ao canto, passando pelo piano e pela enfermagem e que chegou à escrita de uma forma quase acidental, fazendo dela carreira porque achou que era uma profissão da qual podia tirar dividendos e que se adequava à sua imaginação fértil. A ideia que passa, também, é que se tratava de uma pessoa muito exigente consigo própria, uma vez que se contam pelos dedos de uma mão os livros que refere terem resultado exatamente como desejava e que pensa serem boas obras.

No entanto, esta autobiografia tem muito mais sobre a sua vida pessoal do que sobre a profissional. Seguimos a vida da escritora desde tenra idade e é notável o nível de detalhe apresentado, ainda que por vezes a narrativa se arraste um pouco – sem nunca se tornar aborrecida, contudo. Foi interessante conhecer o seu gosto pelas viagens e todos os sítios que visitou, e é também uma viagem a uma época não muito distante se considerarmos a existência do Homem, mas que tem tantas diferenças em termos de tradições e costumes que não deixa de parecer um relato histórico. 

Uma nota final para esta edição: excelente tradução e revisão, num livro de capa dura com mais de 700 páginas, por 17,10€. Excelente relação custo-benefício. Foi uma leitura prolongada e que fui completando aos poucos, mas que valeu muito a pena. É uma biografia escrita de forma clara, detalhada e com pormenores muito interessantes sobre a vida de uma das escritoras mais famosas de sempre.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.