Home / 4/5 / [Opinião] Sangue do Assassino, de Robin Hobb

[Opinião] Sangue do Assassino, de Robin Hobb

Autor: Robin Hobb
Título Original: Golden Fool (2002) – 2.ª metade
Série: O Regresso do Assassino #3, Tawny Man #2.2 | Realms of the Elderlings #8.2
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 372
ISBN: 9789896373801
Tradutor: Jorge Candeias
Origem: Comprado

Sinopse: Apesar de profundamente enredado nos seus conflitos pessoais, o Assassino tem de preparar uma expedição infalível às Ilhas Externas. Para isso há que ensinar ao príncipe dos Seis Ducados tudo o que conseguir sobre as duas magias – duas misteriosas e temidas magias inerentes ao sangue que ambos partilham. Mas na vida de Fitz nada é fácil, e o seu próprio desconhecimento de muito do que diz respeito a essas magias pode ter consequências catastróficas, tanto para si como para o herdeiro… e, em última instância, para o próprio reino. Mas as ameaças não se ficam por aí: quem são realmente aqueles estranhos vilamonteses que apareceram inesperadamente em Torre do Cervo? E os manhosos, que resultará dos seus conflitos internos e que atitude tomará a respeito deles a coroa dos Seis Ducados?

Opinião: Lá voltei eu à companhia do meu “amigo” Fitz, para continuar a seguir as suas aventuras e desventuras. O final do livro anterior deixou em aberto uma viagem cujas consequências me suscitaram curiosidade, mas ao contrário do que pensei este 3.º volume não trata da viagem propriamente dita, mas apenas dos seus preparativos. Não fiquei desiludida, até porque tendo em conta o ritmo lento da autora já devia estar à espera.

Boa parte do livro é dominado pelas relações entre Fitz e as pessoas que o rodeiam. Com o Bobo, Fitz tem uma desavença que ameaça seriamente a longa amizade de ambos; Breu, o seu velho mentor, exulta na recém-descoberta habilidade para a magia do Talento, mas Fitz tenta alertá-lo para os vários perigos; com Obtuso, o homem limitado que possui grande aptidão para o Talento, Fitz tem um longo percurso pela frente para o poder utilizar em benefício do príncipe Respeitador, que por sua vez continua a frequentar as aulas de Fitz, cada vez mais importantes pela iminente viagem às Ilhas Externas e ao desafio que terá de enfrentar. A intervenção dos Manhosos neste volume é também considerável, não só pela gradual aceitação formal dos Manhosos nos Seis Ducados, mas também pelas conspirações de uma fação mais radical dos Manhosos, que tenta prejudicar o príncipe Respeitador e o próprio Fitz.

Robin Hobb continua muito ao seu estilo, com o principal foco nas personagens e nas suas interações e dilemas. Já disse várias vezes que gosto muito da forma que esta autora escolhe para escrever as suas histórias, porque me sinto ligada às personagens e envolvida nos problemas que se lhes deparam. Investi muito do meu tempo a acompanhar o bastardo Fitz , de quem aprendi a gostar apesar de todos os seus defeitos. Sinto que é uma personagem real, que, tal como todos, continua a errar e a aprender com os seus erros. É uma série para acompanhar até ao fim. E uma autora que já entrou na minha galeria de favoritos.

Classificação: 4/5 – Gostei Bastante


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.