Home / 2/5 / [Opinião] O Sabor dos Caroços de Maçã, de Katharina Hagena

[Opinião] O Sabor dos Caroços de Maçã, de Katharina Hagena

Autor: Katharina Hagena
Título Original: Der Geschmack von Apfelkernen (2008)
Editora: Porto Editora
Páginas: 218
ISBN: 9789720043382
Tradutor: Edna Narchial Franco
Origem: Comprado

Sinopse: Um romance mágico que apela aos cinco sentidos. Três gerações de mulheres numa história repleta de segredos, de relações perigosas e amizades inesperadas, de nostalgia e esperança. Bootshaven, Norte da Alemanha. O cheiro a maçãs é intenso e envolve a antiga casa e o jardim. Um perfume que leva Iris, bibliotecária em Friburgo, de regresso aos tempos de criança. Muitos anos passaram, mas tudo parece como dantes: a casa na orla do bosque, as groselheiras brancas, os tapetes de miosótis abafados pelas ervas daninhas. Um jardim mágico, dominado pela velha macieira, debaixo da qual as mulheres da família Lünschen conheceram o amor, a amizade… e a morte. Iris recorda o terrível e misterioso acidente que vitimou Rosmarie, a sua prima querida, com apenas 15 anos. O que estava ela a fazer no telhado do jardim de inverno? E o que lhe teria tentado dizer?

Opinião: Iris, uma jovem bibliotecária recebe de herança a velha casa que tinha pertencido à sua avó, após o falecimento desta, o que serve de pretexto para o regresso ao local onde passou tanto tempo durante a sua infância e juventude. Este regresso despoleta uma série de recordações e revela segredos desconhecidos, relatados ao longo de pouco mais de 200 páginas, nas quais não só vamos recuando ao passado para visitar as vidas dos avós, das tias e dos pais de Iris, mas vamos também acompanhando as suas tentativas de adaptação ao presente e de encontrar o lugar a que realmente pertence.

Este é um daqueles livros em que parece que não tenho grande coisa a dizer, mais porque foi um livro que me deixou indiferente do que outra coisa qualquer. A autora parece-me ter potencial, mas não senti grande empatia com a personagem principal, que é também a narradora da história. O enredo não é original – nem tinha de o ser – mas a minha sensação é que é demasiado genérico e não tem grande coisa que o faça destacar de outras coisas que já li. Acaba por parecer demasiado curto para narrar convenientemente a saga familiar a que a autora se propõe e o suposto elemento-surpresa no final acabou por não mudar a opinião que já tinha formado.

É um livro moderadamente interessante, mas cuja história e personagens nunca me chegaram a cativar por completo. Ainda assim, penso que pode agradar a alguns leitores.

Classificação: 2/5 – OK


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.