Home / 3/5 / [Opinião] Acácia – Ventos do Norte, de David Anthony Durham

[Opinião] Acácia – Ventos do Norte, de David Anthony Durham

Autor: David Anthony Durham
Título Original: Acacia – The War with the Mein (2007) – 1.ª metade
Série: Acacia #1.1
Editora: Saída de Emergência
Páginas: 339
ISBN: 9789896373238
Tradutor: Maria Correia
Origem: Recebido para crítica

Sinopse: Leodan Akaran, rei soberano do Mundo Conhecido, herdou o trono em aparente paz e prosperidade, conquistadas há gerações pelos seus antepassados. Viúvo, com uma inteligência superior, governa os destinos do reino a partir da ilha idílica de Acácia. O amor profundo que tem pelos seus quatro filhos, obriga-o a ocultar-lhes a realidade sombria do tráfico de droga e de vidas humanas, dos quais depende toda a riqueza do Império. Leodan sonha terminar com esse comércio vil, mas existem forças poderosas que se lhe opõem. Então, um terrível assassino enviado pelo povo dos Mein, exilado há muito numa fortaleza no norte gelado, ataca Leodan no coração de Acácia, enquanto o exército Mein empreende vários ataques por todo o império. Leodan, consegue tempo para colocar em prática um plano secreto que há muito preparara. Haverá esperança para o povo de Acácia? Poderão os seus filhos ser a chave para a redenção?

Opinião: Acácia é uma ilha, centro do poder das vastas terras do Mundo Conhecido. É lá que reside e governa Leodan Akaran, um viúvo com quatro filhos, cuja soberania não é aceite por alguns súbditos, em especial os Mein. Este povo prepara um golpe contra os Akaran, para tentar vingar humilhações passadas e reclamar para si o domínio sobre o Mundo Conhecido.

Um pouco à semelhança da técnica utilizada por George R.R. Martin, os capítulos deste livro vão-nos oferecendo perspetivas de várias personagens, entre elas os Akaran (pai e filhos) e os Mein. É através das suas “vozes” que vamos conhecendo este mundo criado pelo autor, a nível de costumes, política, intrigas e história passada, com um detalhe bastante considerável. Apesar disso, a leitura é muito escorreita e raramente se torna aborrecida, com um leque de personagens interessantes e bem desenvolvidas, mas que penso ainda terem alguma margem de progressão. Já que fiz a comparação com George R.R. Martin, posso dizer que os miúdos Akaran me cativaram menos que os miúdos Stark, por exemplo. Mas veremos como evolui a história.

Penso que o livro, analisado isoladamente, acaba por sofrer um pouco pelo facto de ser apenas a primeira metade do original, e funciona mais como uma introdução do que outra coisa qualquer. Há coisas a acontecer, em jeito de preparação da história, e por isso nunca aborrece, mas uma vez terminado nota-se bem que é um volume dividido e fiquei um pouco frustrada por não ter a continuação à mão. A nível de escrita, confesso que não me pareceu nada de extraordinário, apesar de não ter a certeza se é do autor ou da tradução. 

Um bom começo de história, com um world-building interessante e personagens que prometem. Apesar de ter ficado um bocadinho aquém das expetativas, especialmente pelo facto de a história ter ficado em suspenso, é uma série para continuar a acompanhar.

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.