Home / 1/5 / [Opinião] Os Olhos Amarelos dos Crocodilos, de Katherine Pancol

[Opinião] Os Olhos Amarelos dos Crocodilos, de Katherine Pancol

Autor: Katherine Pancol
Título Original: Les Yeux Jaunes des Crocodiles (2006)
Série: Josephine #1
Editora: Esfera dos Livros
Páginas: 496
ISBN: 9789896262204
Tradutor: Carlos Alboim de Brito
Origem: Empréstimo

Sinopse: A acção desenrola-se em Paris. Duas irmãs. Iris é uma mulher muito bonita, rica, elegante e sofisticada, mas vive desencantada com a vida e com o seu casamento. Joséphine é uma intelectual, historiadora, muito menos bonita do que a irmã e com uma vida bem mais difícil. Casada, tem duas filhas, vive nos subúrbios e trabalha para pagar as contas. 
Certo dia, num jantar, Iris faz-se passar por escritora. Presa na sua mentira, convence a irmã a escrever o livro que ela própria assinará. Abandonada pelo marido, cheia de dívidas, Joséphine submete-se, como sempre, aos caprichos da irmã. Mas esta é uma decisão que vai mudar o destino destas duas mulheres. 

Opinião: Os Olhos Amarelos dos Crocodilos é uma espécie de crónica sobre a vida de várias pessoas relacionadas, por laços familiares ou não, cujo enredo decorre em França. As personagens centrais são Joséphine e Iris, duas irmãs muito diferentes mas que acabam por descobrir algumas coisas em comum: a primeira é uma estudiosa do século XII, que se vê subitamente abandonada pelo marido e tem de lutar para ultrapassar as dificuldades e criar sozinha as duas filhas; Iris é uma mulher rica, que vive às custas do marido, mas que também sente que o seu casamento poderá não durar muito mais tempo. Ao mesmo tempo, vamos conhecendo outras personagens: a mãe e o padrasto das duas, a amante deste, uma amiga de Joséphine e os seus vizinhos… e o livro vai-se passando assim, com o desfilar dos acontecimentos que tomam lugar na vida destas pessoas, mais ou menos relacionados entre eles.

É um livro sobre mulheres traídas e sobre homens que, perante a meia-idade ou a velhice se vêem confrontados com o rápido passar dos anos e com o que ainda não viveram. A verdade é que a história não parece ir a lado algum; lemos páginas e páginas e páginas de acontecimentos meio inconsequentes na vida das personagens, que não despertam curiosidade em relação ao final. As personagens parecem superficiais e estereotipadas ao extremo; o enredo é previsível e cheio de clichés – quando tenta fugir disso só se torna ridículo (por exemplo, uma das personagens principais com problemas financeiros vai para o Quénia tentar ganhar dinheiro fácil com a criação de crocodilos). A escrita é bastante banal, sem brilho nenhum. Quando penso no assunto, sinceramente não consigo encontrar o que quer que seja que me tenha agradado neste livro. Foi difícil arranjar motivação para o terminar.

Um livro leve, demasiado leve, que poderá ser apreciado por leitores que procurem uma leitura pouco exigente e que se identifiquem com os problemas das personagens principais. Pessoalmente, considero que é uma perda de tempo e que não traz nada de novo. Em boa hora optei por trazê-lo da biblioteca em vez de o ter comprado.

Classificação: 1/5 – Não Gostei


Sobre Célia

Tenho 36 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.