Home / 3/5 / [Opinião] A Casa dos Amores Impossíveis, de Cristina López Barrio

[Opinião] A Casa dos Amores Impossíveis, de Cristina López Barrio

Autor: Cristina López Barrio
Título Original: La Casa de los Amores Imposibles (2010)
Editora: Clube do Autor
Páginas: 396
ISBN: 9789899711617
Tradutor: Ângelo dos Santos Pereira
Origem: Comprado

Sinopse: Clara Laguna é uma bela jovem de olhos dourados,cuja vida está marcada pelo destino. Quando se apaixona por um caçador,a sua mãe avisa-a da maldição que impera sobre as mulheres Laguna: estão condenadas a sofrer por amor e a conceber mulheres que padecerão do mesmo mal. Depois de Clara engravidar, o caçador abandona-a e esta decide, por vingança, abrir um bordel na casa que ele lhe oferecera. É nesta mansão que a jovem dará à luz a sua filha Manuela. Num registo literário marcado pelo ambiente de realismo mágico que só os grandes escritores conseguem, vamos acompanhando a saga desta família. Uma história mágica e apaixonante que desperta os sentidos. Na tradição de Isabel Allende e Gárcia Marquez, o melhor do realismo mágico num livro que não deixará ninguém indiferente. Uma história mágica e fascinante repleta de amor, ódio, vingança e tragédia, na linha das sagas familiares da literatura. 

Opinião: A Casa dos Amores Impossíveis é uma saga familiar que se inicia na Espanha de finais do século XIX e acompanha os membros da família Laguna ao longo de várias décadas. As Laguna – digo “as” porque é uma família de mulheres – são conhecidas na sua pequena aldeia pela maldição que as marca há várias gerações, e que as faz sofrer por amor e, por consequência, ter filhas bastardas. A maldição é-nos apresentada com Clara Laguna e vai continuando presente na família até um acontecimento que promete mudar o destino desta família.

Com as devidas diferenças, enquanto lia este livro só me lembrava do Cem Anos de Solidão, pelo facto de ser uma saga familiar e uma história cheia de características do realismo mágico, em especial os pequenos elementos imaginários que vão surgindo no ambiente que rodeia as personagens e que são tidas como verdadeiras no contexto do livro. E, tal como o livro de García Márquez, as personagens são marcadas pelo destino, normalmente trágico. Contudo, este livro não me cativou tanto… A história em si tem interesse, mas com uma excepção (Olvido) nunca senti propriamente grande simpatia pelas personagens que foram desfilando pelo livro. A leitura arrastou-se ao longo de duas semanas (muito, para mim) porque não senti grande entusiasmo para continuar.

É um livro por vezes demasiado estranho, noutras algo trágico. Não posso dizer que tenha adorado, mas houve partes que verdadeiramente me cativaram e que achei deliciosas. No que diz respeito à escrita, apesar de achar que a autora tem bastante imaginação e um bom domínio da língua, por vezes cansei-me de tantas metáforas, algumas delas um pouco exageradas para o meu gosto. O final apresenta uma surpresa agradável, e um desfecho que me pareceu adequado.

Foi um livro de que gostei, apesar de ter ficado um pouco aquém das minhas expetativas. Está bem escrito, apesar de num estilo muito próprio, e provavelmente irá agradar aos fãs do realismo mágico.  

Classificação: 3/5 – Gostei


Sobre Célia

Tenho 37 anos e adoro ler desde que me conheço. O blogue Estante de Livros foi criado em Julho de 2007, e nasceu da minha vontade de partilhar as opiniões sobre o que ia lendo. Gosto de ler muitos géneros diferentes. Alguns dos favoritos são fantasia, romances históricos, policiais/thrillers e não-ficção.